17/05/2021

A Polícia Militar do Paraná presta a sua homenagem, em 17 de maio, ao Coronel Joaquim Antônio de Moraes Sarmento, ícone para os policiais militares, referência de coragem e bravura.

De origem humilde, nasceu em 17 de maio de 1882 em Oeiras, Ceará. Desde tenra idade demonstrava vocação ao militarismo, incorporou com 15 anos no Exército Brasileiro e aos 25 anos desincorporou como 1º Sargento.

Em 1907 foi incluído no Regimento de Segurança Pública do Paraná, atual PMPR, um dia após ter dado baixa do Exército. Em 1908 foi promovido ao posto de Alferes, o equivalente a segundo tenente.

Participou de todas as operações revolucionárias travadas pela corporação entre 1912 e 1926. No Combate do Irani, em 1912, na tentativa de salvar seu Comandante, Coronel João Gualberto, recebeu um profundo ferimento de facão na face, na altura de seu olho direito. Comandou a tropa paranaense na Revolução de 1924. Foi definitivamente reformado, em 1930. Faleceu no dia do Patrono das Polícias, Tiradentes, em 21 de abril de 1934 e repousa em seu jazigo no Cemitério Municipal de Curitiba.

Foi declarado em 1968 o patrono da PMPR por ter dedicado sua vida à corporação. Também recebeu outras homenagens, tendo o seu nome atribuído a uma Rua em Curitiba, em Antonina e no município de Ponta Grossa.

Casou-se com Hilda Miranda, irmã do Cel. Felippe de Souza Miranda, patrono do Colégio da Polícia Militar, com quem teve seis filhos. Um deles, Anthistenes Miranda de Moraes Sarmento, foi Coronel da PMPR e exerceu a função de Chefe do Estado-Maior nos anos 50. O sangue do Coronel Sarmento corre ainda pelas veias da PMPR, atualmente seu tataraneto é Capitão na PMPR e desempenha funções na PM/3.

Coronel Sarmento. Homem íntegro, referência de militar, patrono da Polícia Militar do Paraná.

Assista ao vídeo em homenagem ao Coronel Sarmento!

Deixe seu comentário