21/02/2021

Segundo análise minuciosa dos últimos fatos que vêm ocorrendo, para o prefeito Júnior da Femac, o secretário da Saúde Beto Preto e o grupo político de ambos o pedágio em Apucarana aumentaria a arrecadação de ISS para a cidade.

Se a nota da prefeitura de Apucarana que convida para uma apresentação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) visando discussão sobre o pedágio for analisada de forma mais minuciosa é possível concluir que o grupo político que administra a cidade atualmente tem uma intenção velada (disfarçada) de que seja instalada uma praça de pedágio no município. Esta é opinião da editoria do site do Portal 38 News e de outras pessoas que acompanham atentamente tudo que vêm ocorrendo, mas aguardamos resposta do Executivo local e um posicionamento do Secretário Beto Preto para contestar essa conclusão. Vamos aos fatos:

Em 02 de fevereiro deste ano, os técnicos da ANTT, agência do governo federal ligada ao Ministério da Infraestrutura, fizeram uma apresentação na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) de um estudo, que dizem ter demorado dois anos, onde propuseram aumentar as extensões dos pedágios no Paraná, de atuais 2,5 mil Km para 3,2 mil Km; aumentar de 27 praças para 42 praças. Logo após esta apresentação aos deputados estaduais, e já havendo frente parlamentar na ALEP, coordenada pelo deputado Arilson Chiorato (PT) e composta por mais de 27 deputados, contestando essas ampliações, e o modelo que o governo federal quer implantar, os parlamentares estaduais iniciaram as audiências públicas nas principais cidades do Paraná.

A primeira audiência pública em Cascavel mostrou que, de forma unânime, a sociedade civil organizada é contra o aumento de praças de pedágio no Estado e o modelo apresentado pelo governo federal. Na audiência pública em Foz do Iguaçu, também foi unânime a rejeição ao projeto do governo federal. Outras audiências foram realizadas em Londrina, Guarapuava, Cornélio Procópio e Francisco Beltrão e em todas as cidades a rejeição foi total ao pré- projeto do governo federal, que até agora não foi contestado pelo governo estadual. Mas de onde vem a suposição que a administração de Apucarana e o Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, estariam aderindo ao modelo rejeitado em todo Paraná?

Existem fatos! Vejam: a Frente Parlamentar do Pedágio, composta pelos 27 deputados, pediu oficialmente à administração do prefeito Júnior da Femac que fosse disponibilizado o Cine Teatro Fênix de Apucarana, no dia 25/02 para realização do evento da audiência pública com toda sociedade civil organizada do município e a resposta oficial da prefeitura foi negar a disponibilidade do Cine Teatro, sob a alegação de que o local estava totalmente indisponível em razão da pandemia de Covid-19. Em seguida, foi requerida pelos deputados a disponibilidade da Câmara Municipal e, da mesma forma, o Presidente da Câmara, ligado ao grupo do prefeito municipal e ao secretário Beto Preto, negou que as dependências da Câmara pudessem ser usadas, no entanto, o ambiente foi liberado para outras finalidades.

De outra forma, a prefeitura negou para a Frente Parlamentar de deputados paranaenses o uso do Teatro Fênix, alegando problemas da pandemia, mas liberou o mesmo teatro para uso da ANTT, agência do governo federal que defende aumento de estradas e praças de pedágio no Paraná, sendo que esta reunião/apresentação foi marcada antes da apresentação dos deputados paranaenses. Mas há dois detalhes muito intrigantes nesta história: o primeiro é uma postagem no site oficial da Prefeitura de Apucarana. Vejam que a nota da prefeitura, com direito a comentário do prefeito municipal, claramente mostra que o objetivo da pré reunião é discutir o modelo do governo federal, que já foi rejeitado pelos deputados estaduais da Frente Parlamentar, bem como por todas as células da sociedade civil organizada de várias regiões do Estado, e mais: a nota da prefeitura deixa transparecer que nesta reunião, com a presença do secretário Beto Preto, é que serão tratadas as informações pontuais e corretas sobre a questão.

O segundo detalhe intrigante foi uma mudança obscura e misteriosa no anexo do edital da ANTT, que altera as coordenadas de latitude e longitude do ponto previsto para instalação de uma praça de pedágio na BR-376 que seria no município de Califórnia, para que a tal praça de pedágio agora seja instalada no município de Apucarana, nas imediações do distrito da Vila Reis, já que o pedágio rende receita para o município através do Imposto Sobre Serviços (ISS). Tal mudança foi feita de uma forma maquiada, deixando transparecer que a praça de pedágio, rejeitada pela população, vai ser instalada em Califórnia, quando na verdade será no município de Apucarana, com início da entrada em funcionamento da mesma previsto para 28 de novembro deste ano.

Para quem sabe interpretar texto, a nota oficial da prefeitura de Apucarana dá entender que nas audiências públicas que os deputados da Frente Parlamentar estão discutindo em várias regiões do Estado, onde está ocorrendo rejeição em massa ao modelo federal, estas informações e contestações dos deputados estaduais não estariam sendo corretas, pelo contrário, o correto é colocar a praça de pedágio entre Apucarana e Califórnia, mais especificamente no município de Apucarana, para aumentar receita através do ISS.

É preciso que a prefeitura municipal de Apucarana e o próprio Secretário Beto Preto se manifestem desde já, de forma oficial se são favoráveis a este projeto do governo federal, não de forma velada em perfil pessoal e quais são as atitudes que serão tomadas. Não pode a cidade de Apucarana ficar refém de pessoas que se colocam em cima do muro, maquiando uma situação, e depois podem querer surfar na onda da grande maioria do povo paranaense, que é contra estes novos modelos de contratos de pedágio do Governo Federal. Na nota da prefeitura diz que Apucarana será contemplada com grandes obras. Colocar praça de pedágio em Apucarana é uma grande obra??? Aguardamos a manifestação oficial da Prefeitura sobre todas estas dúvidas, não só da editoria do Portal 38 News, mas da população macro regional de Apucarana, pois tudo indica que há realmente uma intenção velada e obscura do grupo político de Beto Preto para que seja instalada uma praça de pedágio no município, com apoio aos interesses do governo do estado, a despeito da vontade do povo e em detrimento do que é melhor para a população de toda região.

Deixe seu comentário