03/02/2021

A posse do advogado Antônio Garcia (1º suplente do PSL) como vereador para cumprir mais um mandato foi marcada pelo presidente da Câmara de Vereadores de Apucarana, Franciley Preto Godoi (PSD), o “Poim”, para as 9h desta quarta-feira (3).

O portal 38 News e o Canal 38 ficaram sabendo do agendamento através de terceiros. A posse, que vai ocorrer após mandado de segurança que teve liminar favorável concedida pelo juiz titular da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Apucarana, Rogério Tragibo de Campos.

O presidente da Câmara de Apucarana foi notificado e intimado na segunda-feira (2) para suspender posse dada a Eliana Rocha (PP) como vereadora na manhã de 22 de janeiro, 24 horas após a morte do pastor e vereador eleito Valdir Silvério dos Reis (PSL). Por conta disso, o advogado e primeiro suplente de vereador do PSL local, Antônio Garcia, entrou com pedido de liminar para mandado de segurança. E o juiz titular da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Apucarana, Rogério Tragibo de Campos, determinou que um Oficial de Justiça notificasse e intimasse na segunda-feira (1º/02) o presidente da Câmara de Vereadores de Apucarana, Franciley Preto Godoi (PSD), o “Poim”, para que suspendesse do cargo a vereadora Eliana de Lourdes Lima Rocha (PP) no prazo de 5 dias, sob pena de aplicação de multa pessoal. Na decisão o magistrado também manda que Poim preste as devidas informações necessárias sobre o caso, no prazo de 10 dias.

Há uma semana, Antônio Garcia, já havia ido à Câmara de Vereadores com a família para ser empossado no cargo, mas o presidente da Câmara, Poim, possivelmente cumprindo “ordens superiores”, simplesmente “desapareceu” e o suplente do PSL passou pelo constrangimento de ter que ir embora sem que o seu direito ao cargo, conquistado nas urnas, fosse respeitado.

Poim foi notificado sobre o mandado de segurança durante a sessão da Câmara realizada na segunda-feira (1º/02), que elegeu os integrantes das comissões da Casa de Leis, com um detalhe que chamou a atenção dos presentes: o prefeito, de Apucarana, Júnior da Femac, marcou presença, assim como já havia feito anteriormente na votação para a presidência do Legislativo, como se fosse um “vigilante”, um “fiscal”, em uma nítida tentativa de interferência entre os poderes. Será que Júnior da Femac também vai marcar presença na posse de Antônio Garcia como vereador?

Deixe seu comentário