14/07/2021

“A gente ficou na expectativa de ser vacinado contra o Coronavírus em Apucarana, mas caímos no esquecimento”, lamentou um profissional do volante. Falta de imunização resultou no falecimento do jovem motorista.

A morte do motorista de aplicativo Elivelton Santos Ribeiro, de 29 anos, na madrugada desta quarta-feira (14), em Apucarana, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19, gerou questionamentos e até revolta por parte de familiares, amigos e colegas de trabalho da vítima do Sars Cov 2 (novo Coronavírus).

Os parentes, amigos e colegas de Elivelton questionaram porque o prefeito de Apucarana, Júnior da Femac, acenou num primeiro momento com a possibilidade de imunização dos motoristas de aplicativos, mas depois não se posicionou favoravelmente e efetivamente à vacinação da categoria, que conta com cerca de 50 profissionais no município e têm muito contato direto com o público em geral, com milhares de pessoas durante o trabalho cotidiano.

“Tudo bem que o prefeito liberou e vacinaram o pessoal da Rumo, do setor de transporte ferroviário, mas eles têm bem menos contato com o público do que nós, motoristas de aplicativos, e somos uma categoria com um número reduzido de profissionais. Caminhoneiros e outros motoristas, como os da Val, também foram vacinados e não dá para entender alguns critérios levados em conta pelos administradores do Poder Público nesse momento que a vacina é tão importante, inclusive para quem trabalha com aplicativo e corre sério risco diário de contágio”, disse o motorista Paulo Celso Vieira, de 42 anos.

Já de acordo com Edivaldo Cardoso da Silva, de 31 anos, que trabalha na Uber há 2 anos, o risco para os motoristas de aplicativos é o mesmo que correm outros profissionais do volante. “A gente trabalha com transporte igual aos motoristas da Val e outros. Talvez se o Elivelton tivesse sido vacinado, não teria morrido e a nossa classe está revoltada com essa situação de não termos sido vacinados em Apucarana. A gente ficou na expectativa e caímos no esquecimento. Se a vacina está aí para salvar vidas, porque não aproveitá-la e vacinar também quem trabalha como motorista de aplicativo?, questionou Edivaldo.

HOMENAGEM
Familiares, amigos, colegas de trabalho do motorista de aplicativo que morreu de Covid-19 em Apucarana realizararam um cortejo às 15 horas desta quarta-feira (14), na Rua Talita Bresolin, como forma de homenagear o jovem apucaranense Elivelton Santos Ribeiro. O corpo de Elivelton Santos Ribeiro não foi velado e o sepultamento ocorreu às 15 horas, no Cemitério Cristo Rei de Apucarana. Amigos do motorista manifestam pesar nas redes sociais.

“Cara, eu nem tenho palavras!!! você foi um dos meus melhores amigos na faculdade, e que eu trouxe pra vida, pessoa feliz, divertida, fazia todo mundo rir, e bebia muito uma cervejinha no charlie comigo, vou sempre lembrar de você e das suas dancinhas nas festas, vivemos momentos incríveis juntos, viagens do turismo marcantes!!! eu não acredito que você se foi, que não vamos mais nos ver, nem tomar mais uma geladinha contando histórias. mas infelizmente essa é a vida e um dia todos iremos partir, o triste é que mesmo sabendo disso, nunca estamos preparados para perder alguém. Que Deus te receba meu irmão, sua passagem na terra foi linda e você sempre ficará vivo em nossas memória, descanse em paz”, postou um amigo no Facebook.

A direção e funcionários do Canal 38 e do portal 38 News manifestam condolências aos familiares de Elivelton Santos Ribeiro

Deixe seu comentário