20/04/2020

Cada sigla deverá, individualmente, indicar o mínimo de 30% de mulheres filiadas para concorrer no pleito.

A Emenda Constitucional (EC) nº 97/2017 vedou, a partir de 2020, a formação de coligações nas eleições proporcionais para a Câmara dos Deputados, Câmara de Vereadores e Assembleias Legislativas.

Um dos principais reflexos da mudança se dará no ato do pedido de registro de candidaturas à Justiça Eleitoral, especialmente porque, com o fim das coligações, cada partido deverá, individualmente, indicar o mínimo de 30% de mulheres filiadas para concorrer no pleito.

Com essa mudança da lei eleitoral que acabou com a coligação dos partidos para vereador, o número de pré-candidatos deve crescer. Em Apucarana a estimativa é de que tenhamos um recorde de pré-candidatos para vereador no município. Os partidos vão precisar lançar chapa completa para fazer o maior número possível de cadeiras na Câmara.

De acordo com avaliação de analistas políticos com histórico na cidade, serão aproximadamente duzentos candidatos para onze vagas na Câmara de Vereadores, com gabinete, assessoria e status de autoridade. Para chegar lá eles vão ter que disputar cerca de 90 mil eleitores apucaranenses.

Ainda com o fim das coligações dos partidos para eleição de vereador, cada sigla poderá lançar 150% do número de cadeiras da Câmara Municipal. Em Apucarana com 11 vereadores, o número de candidatos será de 17 postulantes por partido, sendo 11 homens e seis mulheres, conforme norma eleitoral de proporcionalidade para vagas femininas.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário