21/05/2021

Dos 399 municípios do Paraná, apenas Cascavel (9.564) e Ponta Grossa (7.345) estão mais atrasados do que Apucarana no cronograma de aplicação da 2ª dose do imunizante contra o Coronavírus.

Além de gerenciarem o recebimento e a aplicação das vacinas contra a Covid-19, as prefeituras paranaenses também devem se preocupar com possíveis atrasos no calendário de imunização envolvendo a segunda dose.

Conforme o Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), o município deve entrar em contato com as pessoas que deixaram de procurar os pontos de vacinação. O trabalho é para garantir a eficácia da imunização e em paralelo afastar qualquer possibilidade de desperdício. Quem explica é o Rafael Ayres, coordenador geral de fiscalização do TCE.

A existência de um número considerável de pessoas que não compareceram aos pontos de vacinação para tomar a segunda dose foi apurada pela equipe de auditoria do TCE-PR nos próprios portais da transparência dos municípios.

O TCE-PR recomenda às 399 prefeituras do Estado que promovam “busca ativa” de cidadãos que estão em atraso na segunda dose da vacinação contra a Covid-19. A recomendação consta da Nota Técnica nº 12/2021 emitida pela Coordenadoria-Geral de Fiscalização e publicada na edição nº 2.529 do Diário Eletrônico do TCE-PR.

A emissão da Nota Técnica 12/2021 foi justificada pelo princípio constitucional da eficiência da administração pública. “Aplicar apenas a primeira dose do imunizante implica em desperdício de recursos públicos, posto que não gera a proteção desejada, ao mesmo tempo em que demanda gastos do erário”, afirma o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Rafael Ayres.

Deixe seu comentário