05/09/2019

Assim como em todo o Paraná, o município de Arapongas se mantém em alerta contra o sarampo.

Através da Secretaria Municipal de Saúde, ao todo, 11 Unidades de Saúde têm disponibilizado a vacina (tríplice viral), sendo elas: UBS Aricanduva, 18 Horas São Bento, Centro de Especialidades Jaime de Lima, UBS Caic, UBS São Vicente, UBS Centauro, UBS Cj. Araucária, UBS Tropical, UBS Bandeirantes, UBS Cj. Águias, 18 Horas Cj. Flamingos.

Vale lembrar que a vacinação contra o sarampo abrange também crianças entre seis e onze meses contra o sarampo. Além desta dose, as crianças receberão mais duas doses: uma aos doze meses e outra com 15 meses de vida. Importante lembrar que entre uma dose da vacina e outra é necessário o intervalo de um mês.

Conforme o setor de epidemiologia, nenhum caso da doença foi registrado em Arapongas, contudo, a população deve permanecer atenta, através da prevenção, ou em casos suspeitos procurando a UBS mais próxima com urgência.

“O sarampo apresenta sintomas específicos, sendo eles: febre alta, tosse, coriza ou conjuntivite e vermelhidão pelo corpo. Em caso do surgimento de três desses sintomas, o paciente deve ser encaminhado até uma UBS. Comprovado os sintomas, a equipe da epidemiologia é acionada, para a execução dos exames necessários. Nesse meio tempo, já realizamos o “bloqueio” com a aplicação de vacina tríplice viral, mantendo o paciente em repouso e isolamento”, explica a coordenadora do setor, Fernanda Golas.

VACINAÇÃO

A vacina contra o sarampo é gratuita e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. A dose zero deve ser aplicada em crianças entre seis e onze meses. A dose número 1 aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, cachumba e rubéola), e a dose 2 aos 15 meses com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora). A população com até 29 anos deve receber duas doses da vacina. E para as pessoas que estão no grupo com idade entre 30 e 49 anos bastam ter o registro de uma dose são consideradas vacinadas. Acima dos 50 anos, a vacina é indicada apenas nos casos de bloqueio vacinal após a exposição com casos de suspeita da doença ou confirmados. Pessoas imunodeprimidas, mulheres grávidas e menores de seis meses de idade não devem tomar a vacina. Profissionais da área da saúde devem ser vacinados, independente da idade.

” Orientamos os pacientes que levem a carterinha vacional, cartão SUS e documento pessoal, independentemente da idade. Salientamos que a população procure nossas Unidades de Saúde que disponibilizam a vacina contra o sarampo”, orienta a coordenadora de imunização, Graziela Stefanuto.

No Paraná

Conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde, até agora, 65 casos foram notificados, sendo 47 em investigação, 11 casos descartados, 7 casos confirmados e nenhum óbito.

O Sarampo é uma infecção viral, aguda, altamente contagiosa, transmitida por via aérea, ¨aerossóis¨, através da fala, espirro, tosse e respiração. Pode acometer todas as faixas etárias suscetíveis, tendo maior gravidade nos extremos de idade. O vírus do Sarampo pode levar a complicações como, encefalite, meningite e pneumonia. Após vinte anos sem registro de casos confirmados de Sarampo no Estado do Paraná, confirmou-se o primeiro caso em Campina Grande do Sul na SE 31. Frente ao exposto, a partir desta semana a atualização deste Informe será semanal.

Campartilhe.

Sobre o Autor

**** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal do Canal 38 pelo Whatsapp: (43) 9 8447-1929 ****

Deixe Um Comentário