29/03/2021

No final de semana passada o Portal 38 News divulgou matéria com áudio mostrando um grande esquema de corrupção neste setor da administração municipal, mas tanto o prefeito Júnior da Femac como a maioria dos vereadores não se posicionaram a respeito do assunto, evidenciando uma omissão suspeita. O presidente Poim ainda arquivou pedido de informação do vereador Lucas Leugi sobre o assunto, reforçando a suspeita de que tal assunto está incomodando a administração municipal pela proporção do escândalo de ilegalidade.

Um áudio do diretor e representante legal de uma empresa de Londrina para a qual a prefeitura de Apucarana licitou e contratou serviço de roçagem e limpeza de terrenos no município, encaminhado ao Portal 38 News, revelando detalhes escandalizantes de um esquema de corrupção através do qual já foi repassada uma fortuna de dinheiro público, quase meio milhão de reais. No áudio são citados nomes de autoridades municipais e as revelações são muito graves.

Mesmo após grande indignação da população, o presidente da Câmara, Poim, arquivou requerimento sobre a roçagem proposto pelo vereador Lucas Leugi, que chegou a pedir instauração de CPI para investigar esquema de corrupção na roçagem da prefeitura. A CPI da Roçadinha teve apenas o apoio do vereador Moisés Tavares, os demais vereadores fugiram do assunto. Poim não tem demonstrado qualquer preocupação com a opinião pública ao simplesmente ignorar e arquivar denúncias de irregularidades na administração municipal e na Câmara.

Mas ao contrário da Câmara e da Prefeitura, a 4ª Promotoria Pública da Comarca de Apucarana, através do Promotor de Justiça dr. Eduardo Augusto Cabrini, recentemente baixou portaria para instauração de inquérito civil público com o objetivo de apurar possíveis irregularidades na roçagem de terrenos sob responsabilidade da prefeitura de Apucarana, após várias matérias divulgadas pelo portal 38 news, com farto material e até um áudio que revelam detalhes escandalosos sobre o esquema de corrupção e desvio de recursos públicos.

Segundo informações, o servidor envolvido na corrupção da roçagem continua ligado ao núcleo do poder da administração municipal, e teria sido determinada a abertura de uma sindicância, possivelmente para investigar a empresa, pois no caso de investigar o envolvimento do servidor cargo em comissão sequer caberia uma sindicância, teria é que ser demitido.

O Portal 38 News esteve nos locais onde foram realizados alguns dos serviços de roçagem. Além da empresa estar em desacordo com a licitação, sem registro dos trabalhadores, os serviços estão sendo realizados em desacordo com o contrato e ainda não são retirados os resíduos com a devida destinação.

Após o início das denúncias os valores pagos a empresa diminuiu drasticamente, no mês de março foi de apenas R$ 26.462,71 e centenas de contribuintes entraram com reclamação de roçagem indevida junto a administração municipal, com pedidos deferidos pela procuradoria e fazenda pública, onde acabam assumindo as irregularidades existentes.

Nos próximos dias o Portal 38 News deve trazer novas e reveladoras informações em relação às roçagem de terrenos em Apucarana. E o Ministério Público também continua o trabalho de apuração das irregularidades na roçagem de terrenos sob responsabilidade da prefeitura de Apucarana que foram amplamente denunciadas.

Veja o vídeo.

Deixe seu comentário