15/07/2020

A Secretaria da Educação estuda alguns cenários para o retorno das aulas no Paraná.

Indicado como representante da Assembleia Legislativa do Paraná no Comitê que discute o retorno das aulas presenciais no Paraná, o deputado Hussein Bakri (PSD), presidente da Comissão de Educação da Assembleia, destacou a importância do grupo para estabelecer um plano robusto e unificado de reabertura das escolas – públicas e privadas. Ao participar de sua primeira reunião virtual da comissão nesta terça-feira (14), o parlamentar ressaltou que qualquer decisão tomada vai levar em conta o monitoramento da pandemia feito pela Secretaria da Saúde (SESA). Uma proposta final de data e protocolo para volta às aulas será apresentada aos epidemiologistas da pasta no dia 28 de julho.

“A preocupação número um deve ser a segurança dos milhares de alunos, professores e funcionários. E, para além do monitoramento da doença em si, há toda uma questão logística que precisará ser trabalhada quanto à estruturação de salas e materiais e à compra de termômetros, máscaras, álcool e produtos de limpeza. Portanto, nada será feito de forma precipitada e sem o respaldo das autoridades médicas e sanitárias”, afirmou Hussein Bakri.

Líder do Governo e presidente da Comissão de Educação da Assembleia, o parlamentar explicou que, durante esta semana, os integrantes do Comitê estão debatendo individualmente com a Secretaria da Educação (SEED) e apresentando contribuições com dados e propostas sobre o retorno das aulas. Na reunião desta terça-feira, Hussein Bakri apresentou ao Diretor-Geral da pasta, Gláucio Dias, sugestões colhidas entre os membros da Comissão de Educação. Com todas as propostas em mãos, o Comitê vai estruturar um protocolo ao longo da semana que vem e apresentá-lo à SESA no dia 28. Uma vez aprovado o plano, a intenção é validar o documento final no dia 30.

“Qualquer decisão será tomada em conjunto entre as autoridades estaduais e municipais, Assembleia, Ministério Público, representantes de pais e mestres, sindicatos da rede pública e da rede privada. O cenário é complexo e, quanto maior o debate, mais respaldada estará a decisão que vier a ser tomada”, disse Hussein Bakri.

Possíveis cenários – A Secretaria da Educação estuda alguns cenários para o retorno das aulas no Paraná. A discussão foi levada, inclusive, ao Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed), onde está sendo tratada a nível nacional.

Os principais cenários envolvem turmas menores, com distanciamento entre os estudantes. Nesse caso, seria necessário mais espaço físico e um maior número de professores. Um segundo modelo estudado é o de um retorno “híbrido”, no qual as turmas revezariam entre aulas presenciais e não presenciais no esquema “dia sim, dia não”.

Há ainda preocupações com os protocolos que serão adotados na alimentação e no transporte – dois momentos de grande aglomeração entre os alunos. As informações são da Alep.

Deixe seu comentário