30/09/2020

Dois dos suspeitos foram presos em um clínica de reabilitação para viciados em drogas com 700 de comprimidos de ecstasy e duas armas de fogo; o principal alvo da operação estava internado na clínica, que pode ser fechada; já um universitário foi preso em Apucarana com grande quantidade de entorpecente e dinheiro, além de material usado para produzir haxixe.

O delegado-chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP) de Apucarana, Marcus Felipe da Rocha Rodrigues, concedeu entrevista nesta tarde para divulgar um balanço sobre a Operação Kratos, deflagrada na manhã desta quarta-feira (30) para cumprir 31 mandados de busca e apreensão e 6 de prisão, a partir de investigações realizadas por equipes da 17ª SDP. Policiais da Divisão Estadual e Narcóticos (Denarc), investigadores de delegacias da região e PMs participaram da operação, dando apoio e suporte ao pessoal da 17ª SDP.

De acordo com o doutor Marcus, 14 pessoas foram presas e três armas de fogo acabaram apreendidas em Apucarana e outras três em propriedades rurais do município de Rio Bom. Em Jandaia do Sul três pessoas foram presas e mais três em Rio Bom. Em outra propriedade rural, onde funciona uma clínica para recuperação de dependentes químicos, na região do distrito de São Domingos, no município de Apucarana, foram presos Valderci Jeromi Junior e seu assessor Juliano Endo (idades não informadas). No local policiais apreenderam 700 comprimidos de droga sintética (ecstasy) e mais duas armas de fogo (espingardas) e principal alvo na operação estava internado na clínica, o que causou muita estranheza, conforme observação do delegado-chefe da 17ª SDP. O doutor Marcus adiantou que a clínica poderá ser fechada. Já o estudante universitário Matheus Henrique Vieira (idade não confirmada) acabou preso na Avenida Aviação, em Apucarana, com quase 2 kg de maconha, R$6.546 em dinheiro e material para produzir haxixe, além de balanças de precisão e material para embalar tóxicos . Também foi apreendida uma motocicleta e mais maconha em outros locais.

Daniele Baroli Costa, de 26 anos, que estava foragida da Justiça de Apucarana e era procurada por praticar o crime de tráfico de entorpecentes, foi presa pela Polícia Civil em imóvel no no Jardim Caravele, em Arapongas, com uma porção de maconha. Um homem que fazia parte do esquema foi preso em Balneário Camboriú (SC), outro em Pato Branco, no Sudoeste do Paraná e mais um em Guaíra (oeste do Estado). Em Londrina foi preso um homem conhecido como XingLing, que seria um dos “cabeças” da organização criminosa.

Palavra do delegado
“Na manhã de hoje nós deflagramos a operação para dar cumprimento a 31 mandados de busca e apreensão e 6 mandados de prisão e no decorrer das diligências 8 pessoas foram autuadas em flagrante delitos por diversos crimes, dentre os quais porte irregular de arma de fogo e tráfico de drogas. Também demos cumprimento a mandados de prisão expedidos aqui pela Comarca de Apucarana, totalizando 14 pessoas presas na data de hoje. Esta operação teve alvos em Guaíra, Pato Branco, Londrina, Arapongas, Rio Bom, aqui em Apucarana e em Balneário Camboriú (SC). Foi apreendida uma quantidade significativa de drogas – cerca de 2 quilos de maconha, bastante comprimidos de ecstasy, além de 6 armas de fogo. A operação contou com apoio da Polícia Civil de Pato Branco, Guaíra, Denarc de Londrina, Arapongas, Marilândia do Sul, São João do Ivaí , Jandaia do Sul e também contou com importante apoio do 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM) aqui de Apucarana”, relatou o delegado Marcus Felipe da Rocha Rodrigues.

– R$ 7 mil reais em dinheiro
– 1 motocicleta
– 2 caixas de anabolizantes

Deixe seu comentário