22/06/2021

O vereador Lucas Leugi tornou pública durante sessão ordinária da Câmara de Apucarana, nesta segunda-feira (21) à tarde, mais uma denúncia relacionada a servidores públicos municipais que trabalham da vacinação contra a Covid-19 em Apucarana que causou muita perplexidade nos apucaranenses.

Segundo Lucas, uma servidora pública municipal da limpeza teria supostamente flagrado outros dois servidores públicos fazendo sexo dentro do banheiro do Lagoão, em horário de expediente, com gente esperando para ser vacinada.

“Agora no dia 9 de junho, lá no Lagoão, vou contar para Vossas Excelências que talvez não saibam. Uma servidora pública municipal, vereador Marcos, da limpeza estava próximo ao banheiro do Lagoão quando ouviu algo parecido com miado de gato: miau, miau, miau… Quando ela entrou no banheiro, se deparou com outros dois servidores públicos municipais, em horário de expediente, com gente para vacinar, praticando relação sexual. Eu hoje, após tomar conhecimento disso, mandei uma mensagem para o responsável, Marcelo Viana – superintendente da Autarquia Municipal de Saúde (AMS) – está aqui no meu celular – porque do dia 9 até hoje, dia 21 de junho, sequer foi instaurada algum tipo de sindicância para apurar algo de tão grave que aconteceu no Lagoão. Não tenho nada a ver com a vida pessoal desses dois servidores, só que não era hora nem local de estarem ali, ambos dentro do banheiro de um espaço público praticando relação sexual e pegos por uma outra servidora pública, que até achou que tinha algum gato preso dentro do banheiro após ouvir o que estava acontecendo ali dentro. Mesmo não estando lá na hora, todo o conjunto probatório já está em mãos para o prefeito não falar de novo que é boato o que o vereador está falando aqui; ao invés de querer acobertar, tem que punir, até porque tem gente morrendo por falta de vacina. E em dia de fila lá, ao invés de estar vacinando, estavam fazendo festinha no banheiro. Tá muita bagunça na vacinação”, disse Lucas Leugi. A direção da Autarquia Municipal de Saúde (AMS), no entanto, nega a denúncia e afirma que não teriam sido encontradas provas de nada sobre isso, apenas foram feitos comentários a respeito.

O suposto escândalo de sexo entre servidores públicos municipais no banheiro do Lagoão durante vacinação da Covid-19 veio a público depois de outra situação depreciativa em relação à vacinação contra a Covid-19 em Apucarana, quando uma falsa enfermeira foi presa por esquema de fura-fila e desvio de vacinas e 17 pessoas acabaram denunciadas pelo Ministério Público (MP) e pela Justiça por suspeita de envolvimento em irregularidades relacionadas à vacinação, entre as quais coordenador da Vigilância Epidemiológica do município de Apucarana. O esquema também foi descoberto após denúncia do vereador Lucas Leugi ao MP.

Segundo informações ao invés da administração municipal tentar mais uma vez encobertar essa “safadeza” deveria punir os responsáveis. E para não ficar mais uma vez dizendo ser “boato” deveria ver as câmeras de segurança do interior do lagoão.

Veja o pronunciamento de Lucas Leugi em vídeo

Deixe seu comentário