31/03/2020

O dirigente do SINDSPA, Hermes Machado, servidor da Saúde há 18 anos, defendeu a necessidade da elevação do grau de insalubridade de servidores da Saúde envolvidos diretamente no enfrentamento ao coronavirus, dos 20%, recebidos pela categoria hoje, para 40%.

Segundo o dirigente, algumas prefeituras já estão estudando esse tipo de iniciativa até para contemplar os esforços de médicos da equipe de enfermagem e demais servidores diretamente envolvidos nesse enfrentamento: “Os servidores da Saúde estão arriscando suas vidas numa batalha contra um inimigo invisível e perigoso. Chama muita atenção em locais onde a pandemia está mais intensa, a quantidade de profissionais de Saúde contaminados e doentes graves. Na Itália mesmo os profissionais estão trabalhando há semanas seguidas, sem folga. Se faz necessário esse reconhecimento por parte do poder público”, disse Hermes ao portal de notícias do Canal 38.

Com relação aos EPI’s e uma possível falta de material de trabalho, Hermes disse que tem recebido denúncias de servidores e que algumas unidades estão fazendo vaquinha para comprar máscaras, aventais, toucas e óculos de proteção: “A Autarquia de Saúde já se prontificou publicamente, há mais ou menos uma semana e prometeu resolver essa situação, mas os relatos dão conta de que a falta de equipamentos de proteção individual ainda persiste” pontuou Hermes.

Hermes disse que irá levar para apreciação da diretoria do SINDSPA uma possível compra de máscaras e toucas para distribuir aos servidores, numa demonstração de gentileza e preocupação com a categoria. “o sindicato ainda está estudando uma forma de realizar reuniões em meio às restrições para evitar aglomeração de pessoas em ambientes fechados. Assim que for possível já levarei essa pauta para o debate”, pontuou Hermes.

SITUAÇÃO FINANCEIRA DO SINDICATO
Com relação à situação financeira, Hermes Machado, tesoureiro do SINDSPA, afirmou que não houve mais assembleia do sindicato, nem a de prestação de contas do exercício de 2019 e nem a assembleia de previsão orçamentária para o exercício de 2020, mesmo havendo insistentes cobranças por parte da Secretaria de Finanças para que as assembleias fossem realizadas. Hermes também pontuou que o Conselho fiscal segue com suas atividades paralisadas desde 2018 devido ao número inferior de membros: “A diretoria chegou a discutir a convocação de uma assembleia de eleição complementar, em dezembro de 2019, para recomposição do conselho fiscal e de cargos na diretoria, mas até o presente momento ainda não o fez”, disse Hermes.

Já sobre às eleições sindicais, Hermes disse que alguns servidores manifestaram o desejo para que ele monte chapa e seja o candidato à presidência da entidade nas eleições que deverão ocorrer a partir do mês de maio e até o mês de julho de 2020: O mandato dos atuais dirigentes do SINDSPA termina no dia 8 de agosto de 2020 e as eleições deverão ocorrer de 30 a 90 dias antes desta data, ou seja: entre 8 de maio a 8 de julho de 2020. No entanto Hermes disse que ainda não confirmou que será candidato, mas acredita que André Joaquina, atual presidente, deverá concorrer à reeleição.

Lembrando que o estatuto da entidade veda a ex-dirigentes que não tiveram suas contas aprovadas no exercício de seus cargos, a possibilidade de disputar uma nova eleição

Deixe uma resposta