14/05/2021

Mais um caso de omissão da administração municipal de Apucarana em relação a roçagem de terreno no perímetro urbano de Apucarana foi denunciado nesta sexta-feira (14) ao Canal 38.

O dono de um empresa nas imediações do Núcleo Habitacional Parigot de Souza tomou a iniciativa de contratar uma máquina para roçar uma área vizinha ao seu estabelecimento por causa dos problemas causados pelo mato, com a proliferação de cobras, escorpiões e todo o tipo de inseto, e em razão do pouco caso da prefeitura em relação à situação.

A roçagem de terrenos em Apucarana tem sido alvo de várias reclamações e denúncias de suposta corrupção. Recentemente a 4ª Promotoria Pública da Comarca de Apucarana, através do Promotor de Justiça Dr. Eduardo Augusto Cabrini, baixou portaria para instauração de inquérito civil público com o objetivo de apurar possíveis irregularidades na roçagem de terrenos sob responsabilidade da prefeitura de Apucarana, após várias matérias divulgadas pelo portal 38 news e canal 38, com farto material e até um áudio que revelam detalhes escandalosos sobre o esquema de corrupção e desvio de quase meio milhão de reais de dinheiro público. E nos locais onde é feita a roçagem, a capinagem é realizada pela metade e não estão retirando os resíduos, conforme a licitação determina.

Recentemente a 4ª Promotoria Pública da Comarca de Apucarana, através do Promotor de Justiça Dr. Eduardo Augusto Cabrini, baixou portaria para instauração de inquérito civil público com o objetivo de apurar possíveis irregularidades na roçagem de terrenos sob responsabilidade da prefeitura de Apucarana, após várias matérias divulgadas pelo portal 38 news e canal 38, com farto material e até um áudio que revelam detalhes escandalosos sobre o esquema de corrupção e desvio de quase meio milhão de reais de dinheiro público.

De acordo com a denúncia do Portal 38 News, na planilha de roçagem constam informações inverídicas sobre locais onde teriam sido realizados os serviços, mas que na realidade não foram, razão pela qual os suspeitos recebiam indevidamente. Há também questionamentos sobre a dimensão do total capinado. E, ainda, existem denúncias de cobranças indevidas em locais com residência construídas, onde sequer existe vegetação a ser roçada, mas no carnê do IPTU do imóvel veio debitada taxa de roçagem, bem como outras centenas de contribuintes podem ter sidos lesados com cobranças indevidas.

O vereador Lucas Leugi tem cobrado de forma contundente o prefeito de Apucarana, Júnior da Femac, sobre a falta de providências em relação a denúncias de corrupção no trabalho de roçagem de terrenos na cidade, que foi terceirizado pela administração municipal. A denúncia envolve um servidor público que trabalha no gabinete do prefeito Júnior da Femac, e tudo permanece como se nada tivesse acontecido.

Após grande indignação da população, o presidente da Câmara, Poim, arquivou requerimento do vereador Lucas Leugi com pedido de informações sobre a roçagem. Poim não tem demonstrado qualquer preocupação com a opinião pública ao simplesmente ignorar e arquivar denúncias de irregularidades da administração municipal na Câmara. O vereador Lucas Leugi chegou a propor instauração de CPI para investigar esquema de corrupção na roçagem da prefeitura. Mas a CPI da Roçadinha teve apenas o apoio do vereador Moisés Tavares, pois os demais vereadores ficaram omissos.

Deixe seu comentário