14/05/2021

AMS falta com a verdade ao afirmar em nota que falsa “enfermeira voluntária” seria apenas suposto “boato” e que ela seria técnica de enfermagem, mas seu nome não consta registrado no Coren.

Uma situação de irregularidade na aplicação de vacinas contra Covid-19 em Apucarana continua repercutindo na cidade, depois que Autarquia Municipal de Saúde (AMS) divulgou informação no portal do órgão oficial do município a título de suposto “esclarecimento de boato” sobre uma falsa enfermeira que trabalhou durante quase dois meses na vacinação contra a Covid-19 no Lagoão.

O referido texto intitulou a mulher como técnica de enfermagem. Mas a bem da verdade a tal mulher não é enfermeira e sequer técnica de enfermagem. Desta forma, jamais poderia ter aplicado vacinas, e muito menos ofertar vacinas através de aplicativo do WhatsApp, o que acabou acontecendo, veja imagem:

Após a irregularidade vir o a público com essa situação escandalosa, foi baixada uma portaria proibindo a participação de voluntários na recepção e conferência de documentos das pessoas a serem vacinadas, e também na aplicação das vacinas.

É importante esclarecer para a população de Apucarana que a administração municipal tenta classificar como “boatos” informações verdadeiras, que podem ser comprovadas conforme imagens recebidas pela reportagem, e tentam ludibriar o povo, dando a entender que a mulher farsante não aplicava vacinas, o que é uma mentira, tanto é que o diretor-presidente da AMS, Roberto Kaneta, baixou portaria instaurando processo sindicante administrativo para apurar o caso. Ora, se fosse boato, porque então instaurar tal sindicância investigativa?

O vereador Lucas Leugi recebeu essa denúncia gravíssima dando conta que uma senhora se passava por “enfermeira voluntária” na central de vacinação da COVID-19 no Lagoão, em Apucarana, onde ficou quase dois meses aplicando vacinas. Lucas foi alertado sobre a situação, mas quando foi até o Lagoão, a mulher não estava mais lá. A referida pessoa, inclusive, oferecia vacinas para conhecidos via WhatsApp e afirmava estar de posse da mesma e que se a pessoa não fosse tomar a dose, iria jogar a vacina fora.

Já foi apurado que tal “enfermeira voluntária” ou técnica de enfermagem, como tenta dizer a nota da AMS, não tem registro no COREN. Além de aplicar vacinas, a enfermeira também conferia os documentos das pessoas que seriam imunizadas, o que facilitava possível fraude. A denúncia já foi formalizada por Lucas Leugi no Ministério Público e para a Assembleia Legislativa.

Após o caso se tornar público, outras pessoas se manifestaram em rede social, denunciando a mesma mulher, que se trata de uma farsante, pois ela não está inscrita no COREN. Não é possível acreditar que na cidade de Apucarana, domicílio eleitoral do atual secretário estadual de Saúde, que sempre acompanha pessoalmente a vacinação, possa ter ocorrido uma situação dessa, uma mulher desqualificada para a função estar atuando como “enfermeira voluntária” há quase 60 dias na central de vacinação, aplicando nas pessoas sabe se lá o que.

É necessário que seja feita a identificação do responsável pela contratação da voluntária e que seja investigado se a estelionatária atuava sozinha ou possuía comparsas. Além disso, é importante que seja feito um levantamento de quantos apucaranenses possam ter sido vítimas da falsa enfermeira e, se receberam a dose da vacina ou soro fisiológico, o que pode colocar em risco a vida das pessoas.

A administração municipal, por sua vez, tentou abafar o caso usando as mídias que recebem verbas publicitárias para classificar o episódio como “boato”, prática comum do Executivo Municipal quando vêm a público denúncias de irregularidades em órgãos ligados à Prefeitura de Apucarana.

O Ministério Público notificou a prefeitura municipal de Apucarana e a Autarquia de Saúde, para dar explicações sobre a falsa “enfermeira voluntária” denunciada pelo vereador Lucas Leugi.

1 COMENTÁRIO

  1. Essa fdp tinha que já estar na cadeia,assim como o responsável ou responsáveis pela admissão dela para exercer a função,quanta falta de responsabilidade e respeito para com a vida de muitos apucaranenses,isso é uma vergonha.
    Tenho certeza que o poder público da cidade de Apucarana irá punir com austeridade o responsável.

Deixe seu comentário