31/10/2021

Neste domingo (31) foi realizado o resgate de uma serpente Cascavel (Crotalus durissus) em Cambira. A cobra foi encontrada na calha de uma residência.

Os moradores da residência então ligaram para a equipe do Felipe, o Repórter Selvagem, do Canal 38, para fazer o resgate da serpente. Após o resgate bem sucedido do animal, o réptil foi solto na natureza, longe da área urbana e sem qualquer perigo.

Nessa época de chuva os répteis ficam mais ativos. E por isso eles estão sendo encontrados mais frequentemente em áreas urbanas. E pessoal da área rural, tomem muito cuidado, nunca deve andar descalço em lugares de mata fechada. O uso dos sapatos, botinas, botas ou perneiras deve ser obrigatório.

Olhar sempre com atenção os caminhos a percorrer; usar luvas nas atividades rurais e de jardinagem. Nunca colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras. Esses são os melhores esconderijos para animais peçonhentos. Vedar frestas e buracos em paredes e assoalhos.

Animais como galinhas e gansos, em geral, afastam as serpentes das áreas mais próximas das habitações e se alimentam de aranhas e escorpiões. Evitar plantas como trepadeiras muito encostadas a casa, folhagens entrando pelo telhado ou mesmo pelo forro. Não depositar ou acumular lixo, entulhos e materiais de construção junto a casa. Não montar acampamentos junto a plantações, pastos ou matos em regiões onde normalmente há roedores e serpentes. Nas matas ou nas beiradas das entradas, em acampamentos e piqueniques, nunca deixar as portas do carro abertas, principalmente ao anoitecer. Mesmo durante a troca de pneu, ter essa precaução.

Em caso de acidente com animal peçonhento, o Repórter Selvagem do Canal 38 alerta: lavar o local da picada, de preferência com água e sabão, manter a vítima deitada, evite que ela se movimente para não favorecer a absorção do veneno; levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo, se possível com o animal agressor, mesmo morto, para facilitar o diagnóstico. Veja a matéria em vídeo do Canal 38.

Deixe seu comentário