09/12/2019

Os 29 integrantes da Guarda Municipal de Apucarana participaram de capacitação interdisciplinar nas dependências do Centro de Atendimento à Mulher (CAM), da secretaria da Mulher e Assuntos da Família (Semaf), divididos em duas turmas, na sexta-feira (6) e na segunda-feira (9).

O tema da formação, que teve o mesmo conteúdo nas duas turmas e oito horas de duração, foi “Gênero e Violência Doméstica”.

A capacitação é preliminar, isto é, antes que a Patrulha Maria da Penha esteja implantada no município. No momento em que houver a efetivação da patrulha, os guardas municipais terão capacitação permanente. “A ideia desta capacitação é que a equipe seja sensibilizada para atuar com as mulheres em situação de violência doméstica, no atendimento das ocorrências, ajudando a compreensão dos integrantes da GM quanto às subjetividades e particularidades da violência cometida contra as mulheres. O atendimento de qualidade que a Guarda Municipal realiza em Apucarana é um diferencial na questão da proteção da mulher”, destaca a secretária municipal da Mulher e Assuntos da Família, Denise Canesin.

A assistente social Simone Sartori e a psicóloga Valéria Begale falaram sobre o conceito de gênero e como acontece a apropriação cultural do “ser homem” e do “ser mulher”. Também abordaram violência de gênero, violência doméstica, ciclo da violência, morbidade e mortalidade feminina em decorrência da violência, e os prejuízos para a sociedade causados pelo problema.

Outro momento da capacitação abordou o projeto botão do pânico, no qual Apucarana já reúne experiência. Atividades diárias, maneira de atuação, dados e procedimentos foram discutidos. Depois disso,  os guardas municipais Denice Amorin, Nayara de Melo e Ronaldo Adriano Bárbara, que compõem a Patrulha Maria da Penha em Arapongas, discorreram sobre aspectos gerais e mecanismos de coibição da violência contra a mulher previstos na Lei Maria da Penha, o papel dos agentes de segurança pública no enfrentamento à violência contra a mulher, o funcionamento da patrulha, além de falar sobre a trajetória de implantação e a experiência da equipe.

Deixe uma resposta