31/08/2021

As campanhas de doação de sangue são constantes e necessárias, mas diante da pandemia da Covid-19 a situação da rede do centro de hematologia e hemoterapia do paraná (Hemepar) precisa de muita atenção.

Na unidade da 16ªRegional de Saúde, em Apucarana, há um déficit de 34% de doações para a manutenção mínima dos centros médicos atendidos. Por essa razão, o Hemepar/Hemocentro de Apucarana informa que estará coletando doações de sangue na segunda-feira (6/09, véspera de feriado). A doação pode ser agendada pelo fone (43) 3420 -4200. O Hemocentro de Apucarana fica situado Rua Antônio Ostrenski, próximo à base do Samu, no centro de Apucarana.

A baixa das doações de sangue ocorre exatamente quando a demanda de cirurgias eletivas cresce, numa tentativa de atender aqueles pacientes que precisaram esperar por tratamento devido à crise do coronavírus. Na prática, o suprimento mínimo da 16ª Regional de Saúde é de 800 bolsas de sangue por mês. Mas, atualmente, com muito esforço, o número só chega a 530. Antes da pandemia, a unidade chegava a receber 650 doadores, mas o número ideal é acima de 1.000. Isso porque há uma parcela das pessoas que, por critérios específicos, tem o sangue descartado. Além do sangue, as doações são feitas para a produção dos hemocomponentes, como os concentrados de hemácias e de plaquetas, plasma fresco congelado e crioprecipitado.

Agora na pandemia há um novo componente bastante importante: o plasma hiperimune. Ele é retirado de pessoas que já tiveram a Covid-19 e tem anticorpos para o coronavírus. Esse tipo é reservado para o uso em pacientes que estão enfrentando a infecção. Estão aptas a doar sangue, pessoas curadas da virose: após 45 dias o resultado do exame positivo ou, em casos com sintomas mais fortes, 30 dias depois. Já os vacinados com a Corovac podem doar sete dias depois. Os que receberam doses AstraZeneca, Pfizer ou Janssen precisam esperar 30 dias.

Cada um dos 16 municípios da regional tem sua estrutura para coletar sangue. Muitos cediam transporte para levar doadores até Apucarana, mas o número que chegava a 20 pessoas por semana hoje é inferior a dez.

Deixe seu comentário