11/09/2021

Após receber uma denúncia via central de operações (Copom) do 10º BPM de que um indivíduo estava aplicando um golpe no estabelecimento comercial na Avenida Paraná, no centro de Apucarana, às 17h09 de sexta-feira (10), a equipe do Comando do Policiamento Urbano (CPU) se deslocou até o local e se inteirou dos fatos junto ao responsável pela intermediação da venda com o suspeito.

O solicitante disse à equipe que no dia 03/09/21 realizou uma venda para um comprador que se identificou. Nessa negociação, foi realizado a venda de uma quantidade de condutor de energia cujo valor totalizou R$ 4.675,00(quatro mil seiscentos e setenta e cinco reais). Posteriormente o cidadão realizou uma compra de r$ 4.422,00 (quatro mil quatrocentos e vinte e dois reais). Nas duas transações, o comprador realizou como modo de pagamento transferências eletrônicas, inclusive enviando supostos comprovantes de pagamento.

No entanto, esses valores até a presente data, não foram creditados na conta da empresa que realizou as vendas. Na sexta-feira (10/09/21), o mesmo cidadão entrou em contato com o vendedor da empresa, realizando uma compra no total de R$5.730,00 (cinco mil setecentos e trinta reais). Na sequência, o detido realizou a transferência eletrônica e enviou o comprovante conforme descrito anteriormente, porém, novamente o valor não foi creditado na conta da empresa. Dessa forma, no momento em que o cidadão combinou para retirar o material que havia sido comprado, a equipe policial realizou a abordagem do elemento.

De início, ele alegou que trabalhava como motorista do aplicativo Uber e que um cidadão havia realizado o pedido no aplicativo para retirada da mercadoria. Minutos após, ele falou que teria sido acionado através de chamada telefônica por um cidadão para que retirasse o material, porém, mesmo alegando que havia sido contratado apenas para retirar a mercadoria, mas em nenhum momento apresentou informações que comprovasse a sua versão. Diante dos fatos, a equipe deslocou com parte do material que seria entregue nesta data ao eventual comprador, juntamente com o abordado à 17ª SDP para providências. Também foi encaminhado até a 17ª SDP o veículo utilizado pelo detido, um Peugeot 307 na cor preta.

No momento em que a PM realizava a confecção da documentação, compareceu a 17ª SDP o gerente do estabelecimento comercial declarando que momentos antes uma pessoa, utilizando o mesmo modus operandi anteriormente descrito, tentou realizar a retirada de uma quantidade de materiais que totalizaram R $6.500. No entanto, como a forma de pagamento foi através de DOC, o gerente do estabelecimento afirmou que só liberaria a mercadoria quando o dinheiro fosse creditado na conta do estabelecimento. Sendo assim, o mesmo desistiu de retirar os materiais e se retirou da loja.

Deixe seu comentário