09/06/2021

Tal decisão foi tomada pela direção do hospital porque o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, que é médico e de Apucarana, e o prefeito Júnior da Femac, nada fizeram para evitar que essa “crise anunciada” acontecesse, como foi alertado em diversas reportagens do portal 38 News e do Canal 38. E quem “paga o pato” agora é a população, que fica sem atendimento no único hospital de Apucarana.

A direção do Hospital da Providência, de Apucarana, divulgou comunicado no final da manhã desta quarta-feira (9), informando que decidiu restringir temporariamente o atendimento.

Comunicado
No comunicado, assinado pela diretora geral do Hospital da Providência, Irmã Geovana Aparecida Ramos, é relatado que “tendo em vista a suspensão temporária no atendimento no Pronto Socorro Geral do Honpar e devido a ocupação dos leitos de UTI no Hospital da Providência estar em 130% e leitos clínicos em 127%, comunicamos que a Autarquia Municipal de Saúde (AMS), 16ª Regional de Saúde (RS) e Regulação de Leitos da Macro Norte a restrição temporária de atendimento até dia 11 de junho, podendo ser prorrogada”.

Conforme o Portal 38 News e o Canal 38 já haviam alertado em várias reportagens sobre essa “crise anunciada”, a decisão tomada pela direção do Hospital da Providência no sentido de deixar de atender pacientes alegando elevada taxa de ocupação de leitos ocorreu porque o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, que é médico e de Apucarana, e o prefeito Júnior da Femac, nada fizeram para evitar que isso acontecesse, sem lutar pela disponibilização de mais leitos, criação de um hospital de campanha, e pelo reforço da estrutura funcional e operacional do Hospital da Providência, ainda mais após a nova variante Indiana circulando pela regioã. E quem “paga o pato” agora é a população, da cidade e de todo Vale do Ivaí que fica sem atendimento no único hospital de Apucarana.

Vale acrescentar que o Honpar de Arapongas tem 40 leitos contratualizados de UTI com o Estado, enquanto o Hospital da Providência tinha apenas 20 (a metade do Honpar) até pouco tempo e depois foram contratualizados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) apenas mais três leitos.

A taxa de ocupação do “Providência”, informada na terça-feira (08) UTI é de 130% e leitos clínicos de 127%, enquanto boletim divulgado no final da tarde de terça-feira (9) pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa)/16ª Regional de Saúde (RS) informou ontem (08) que a taxa de ocupação na UTI para Covid-19 do “Providência” era de 91,30%, com 21 pacientes internados para 23 leitos. Já na enfermaria do “Providência” para Covid-19, a ocupação de leitos estava em 119,61%, com 61 pacientes internados para 51 leitos, conforme o boletim da Sesa/16ªRS. Ou seja: os números não batem, a população de Apucarana está sem atendimento hospitalar.

Deixe seu comentário