30/01/2020

Apucarana tem nove casos confirmados de dengue no atual ciclo epidemiológico, que se iniciou em agosto de 2019.

Apucarana tem 9 casos de dengue confirmados e outros 43 sob investigação. Ao divulgar esses números, o prefeito Junior da Femac lança um alerta e, ao mesmo tempo, pede o engajamento da população na luta para eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti. “Vamos proteger nossa família e nossos vizinhos para que essa doença não avance em nossa cidade. As equipes de saúde estão batendo diariamente de porta em porta, fazendo vistorias nos quintais e passando toda orientação necessária para cada um fazer sua parte e não permitir água parada para que o mosquito possa se proliferar”, defende Junior da Femac.

Os agentes de endemias da Autarquia Municipal de Saúde (AMS) estão atuando também aos sábados, retornando às casas que encontraram fechadas nas visitas feitas durante a semana. Assim a vistoria é realizada em praticamente 100% dos domicílios dentro da área de atuação destes profissionais. “O mosquito da dengue não pode vencer os 136 mil habitantes de Apucarana. Por isso, vamos nos mobilizar nesta luta, para evitar que, principalmente, crianças e idosos sejam contaminados”, reforça o prefeito.

O diretor presidente da AMS, Roberto Kaneta, detalha que a faixa de incidência da doença no município é de 5 casos para cada 100 mil habitantes, sendo que são necessários 300 casos para cada 100 mil habitantes para o quadro ser considerado de epidemia. Kaneta também informou dados do último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRA), divulgado ontem (29), que aponta o município com índice de infestação do mosquito da dengue de 3,5%, sendo que o último realizado em dezembro era de 1,5%. “O período chuvoso contribui e infelizmente esse percentual aumentou, o que na prática representa que em dezembro cerca de 900 imóveis tinham foco do Aedes aegypti e agora são 2,1 mil”, detalha Kaneta.

“Temos que ficar atentos porque o Paraná já tem 35 municípios com epidemia da dengue e 25 em risco de epidemia. Não queremos que Apucarana entre nesta lista. Em função do mosquito da dengue já estar resistente à ação do fumacê, repelentes e aerosol doméstico, a única forma de combater esse vetor é eliminando os criadouros, uma responsabilidade que está na mão de cada um de nós”, conclama Kaneta.

O último boletim epidemiológico divulgado na terça-feira pela Secretaria da Saúde do Paraná registra 7 óbitos por dengue no estado. O número de casos confirmados aumentou em 3.264: passou de 7.618 para 10.882 confirmações, um aumento de 42,82% em relação à semana anterior. São 198 municípios com casos confirmados para a doença.

O Governo do Paraná desenvolve neste momento várias ações de combate ao mosquito vetor em todas as regiões, coordenadas pelo Comitê Intersetorial de Controle da Dengue. “Todas as secretarias estaduais e órgãos públicos, além de entidades da sociedade civil organizada, participam das atividades de orientação sobre as medidas que visam, principalmente a eliminação dos criadouros do Aedes aegypti nos domicílios e imóveis públicos e comunitários”, anuncia o secretário Beto Preto.

Deixe seu comentário