19/09/2020

Vendida por WhatsApp e com potentes efeitos estimulantes e alucinógenos, o entorpecente sintético é a “bola da vez” entre os jovens usuários com maior poder de compra que frequentam festas rave.

Um laboratório para a produção, manipulação e fracionamento de entorpecentes (principalmente MDMA), que funcionava em uma casa na Avenida Aviação, no Núcleo Habitacional Castelo Branco, na zona leste de Apucarana, foi desmontado na sexta-feira (17) à tarde, após exaustivas investigações realizadas pelo pessoal do Setor de Narcóticos e do Setor de Inteligência da 17ª Subdivisão Policial (SDP). Igor de Oliveira, de 23 anos, foi preso na moradia sob suspeição de tráfico de entorpecentes. A Polícia Civil teve apoio nas investigações da Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios, pois conforme informações, o suspeito encomendava as produtos químicos usados como matéria-prima e demais insumos para produção de tóxicos via correspondência.

Depois que os investigadores confirmaram o endereço do suspeito e detalhes das atividades ilícitas realizadas pelo mesmo, os policiais civis foram até a moradia do rapaz e lhe deram voz de prisão por tráfico. Dentro da casa o pessoal do Setor de Narcóticos e do Setor de Inteligência da 17ª SDP localizaram diversos insumos e produtos químicos utilizados no preparo de uma droga sintética conhecida como MDMA, bem como maconha. Os materiais apreendidos e o jovem preso foram encaminhados à 17ª SDP, onde ele acabou autuado em flagrante pelo crime de tráfico de entorpecentes, cuja pena para os condenados varia de 5 a 15 anos de prisão.

O que é a droga MDMA?
Segundo a Polícia, o MDMA é a droga da vez entre os jovens, vendida por WhatsApp e com potentes efeitos estimulante e alucinógeno, o “lança-perfume da nova geração” virou um desafio para as forças de segurança. A substância em questão é uma das drogas mais potentes e perigosas já desenvolvidas em laboratório: o MDMA (sigla para 3,4-metilenodioximetanfetamina). Os mais íntimos a chamam apenas de MD. Trata-se de uma espécie de versão melhorada do ecstasy, a denominada pílula do prazer, que perdeu parte da popularidade entre os jovens com maior poder de compra.

Veja reportagem completa:

Deixe seu comentário