Foto: Lucas Leal - Canal 38

05/11/2021

Um homem ainda não identificado, que estava portando um revólver calibre 32 cromado e municiado, morreu ao cruzar com policiais militares na linha férrea, nas imediações do Conjunto Michel Soni (Recanto do Lago) após participar de um assalto a residência ocorrido às 23h40 de quinta-feira (5), na Rua Serra Dos Mulatos, no Núcleo Adriano Correia, em Apucarana.

Um comparsa que estava com o elemento se embrenhou em um matagal e conseguiu fugir. Equipes do Instituto de Criminalística e da Polícia Civil estiveram no local do fato e o revólver calibre 32 foi apreendido. O corpo do suspeito, que não portava documentos, foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Apucarana para exame de necropsia e identificação.

Conforme boletim de ocorrência, a equipe da Rotam foi acionada via Copom para prestar apoio em uma situação de roubo em andamento em uma casa na na Rua Serra Dos Mulatos. Chegando no local uma das vítimas relatou as características dos dois indivíduos para a equipe e a direção tomada pelos mesmos. Na sequência a equipe da Estação 3 também esteve no local lavrando o boletim de ocorrência. Foram iniciada buscas com o objetivo de localizar os dois indivíduos, momento em que próximo a linha férrea que dá acesso ao Conjunto Habitacional Michel Soni foi visualizado uma pessoa utilizando-se de lanterna sobre os trilhos e a cerca de 50 metros do cruzamento.

A PM realizou a aproximação, constatando que se tratava de um vigilante patrimonial e este informou a equipe que também estava tentando localizar os autores do roubo a residência. O mesmo foi orientado a deixar o local por motivo de segurança. Logo em seguida um dos policiais ouviu um barulho dentro da mata, que fica abaixo da linha férrea. Com apoio da equipe do Comando do Policiamento Urbano (CPU) foi realizado cerco na mata, onde a equipe do CPU se posicionou na parte debaixo do local e a equipe Rotam permaneceu próximo à linha férrea para identificar a origem dos ruídos. Foi feito o uso de lanternas em direção a fonte do barulho, momento em que foi visualizado um indivíduo e verbalizado para que o mesmo mostrasse as mãos, mas a ordem policial não foi acatada pelo mesmo. Diante da negativa a equipe da ROTAM realizou a aproximação, verbalizando novamente para que mostrasse as mãos, momento este que foi constatado que o elemento já se encontrava com uma arma em punho.

Ainda conforme boletim da PM, diante da iminente injusta agressão, com a finalidade de salvaguardar a equipe policial, foram realizados disparos de arma de fogo para neutralizar a iminente agressão. Em seguida foi acionada via Copom a equipe do Samu para prestar atendimento médico ao suspeito que acabou baleado e os os socorristas constataram o óbito do elemento no local. Posteriormente foram acionadas as equipes da Polícia Civil, Polícia Científica e IML, que compareceram no local onde realizaram os devidos procedimentos. A PM salientou que após os procedimentos de perícia realizados pela Polícia Científica foi constatado que a arma que o indivíduo portava se tratava de um revólver da marca Taurus calibre .32, com acabamento cromado, com capacidade para seis munições e que se encontrava carregado. A arma foi apreendida.

“No Bairro Núcleo Adriano Correia, por volta da meia noite, dois indivíduos adentraram uma residência – os dois 2 armados – segundo informações da vítimas, porém as vítimas se assustaram e reagiram, mas a Polícia Militar não recomenda isso, e acabaram entrando em luta corporal. Os indivíduos acabaram se evadindo do local sem levar nada e as equipes da PM em diligências foram tendo informações. Eles atravessaram a rodovia, um dos elementos fugiu em meio a um matagal e as equipes diligenciaram e durante a abordagem de um dos indivíduos o mesmo acabou oferecendo resistência à abordagem, portando arma de fogo municiada, oferecendo risco à equipe. Foi verbalizado para que ele se entregasse e isso não ocorreu e a situação teve esse desfecho. O Samu foi acionado,mas o indivíduo foi a óbito. Ele não portava documentos e o corpo foi levado ao IML de Apucarana para necropsia e identificação”, afirmou o tenente Tiago Luiz, que estava no Comando do Policiamento Urbano (CPU).

Deixe seu comentário