11/02/2020

Um peruano, de 31 anos, missionário da Igreja Adventista do Sétimo Dia, foi preso em flagrante por policiais militares após abusar sexualmente de uma menina de quatro anos dentro de uma unidade da denominação em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Foi a mãe da criança que flagrou o ato e denunciou o suspeito.

Segundo a Polícia Civil, a mãe levou a menina para igreja e, enquanto participava de uma reunião, a criança foi até a Sala Primária, onde são oferecidas aulas infantis, para pegar um brinquedo. Na sala, estava o missionário que era abrigado pela unidade e, quando a menina entrou, de acordo com o registro da ocorrência, o suspeito pegou a mão da criança, colocou em seu órgão genital e começou a movimentar.

A ação foi flagrada pela mãe da menina que, ao notar a ausência da filha, foi até a sala procurá-la. Em depoimento à polícia, a mãe disse que, quando entrou no local, o missionário estava de costas, mas percebeu que ele guardou algo dentro das calças quando ouviu a porta abrir.

Já longe do suspeito, a mãe perguntou para a menina o que tinha acontecido, e a criança confirmou o abuso. Lideranças da igreja foram acionadas e, quando questionado, o peruano confessou o crime. A Polícia Militar foi até o local e o suspeito foi preso e levado à Delegacia Seccional de Itanhaém.

Durante o interrogatório, o peruano confessou que colocou a mão da criança em seu órgão sexual e falou ‘besteiras’ para a menina com conotações sexuais. A vítima foi encaminhada para exame de corpo de delito e o homem foi preso em flagrante por estupro de vulnerável. A Embaixada Peruana no Brasil foi comunicada sobre o fato

Em nota, a Igreja Adventista do Sétimo Dia disse que lamenta profundamente o ocorrido em uma de suas congregações na cidade de Itanhaém. A pessoa acusada do crime estava abrigada no templo há poucos dias enquanto participava de um projeto no município.

Logo após a mãe constatar o ocorrido, o pastor local foi acionado, conforme protocolo da organização, e imediatamente chamou a Polícia. O homem foi preso em flagrante e levado à delegacia. Ele segue preso na Penitenciária de Praia Grande.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia disse que oferece o apoio necessário para a mãe e a vítima. A instituição repudia qualquer tipo de violência. E, inclusive, promove regularmente ações de conscientização contra o abuso infantil.

As informações foram obtidas e divulgadas pelo portal G1 nesta terça-feira (11).

Deixe seu comentário