22/11/2021

O órgão, que funciona junto ao Departamento de Trânsito, na Rua Tamandaré, faz o julgamento de multas relativas a estacionamento, paradas e circulação de veículos.

O major Vilson Laurentino da Silva foi nomeado novamente nesta semana presidente da Junta Administrativa de Recursos de Infrações (JARI) de Apucarana, junto com os demais membros. O órgão funciona junto ao Departamento de Trânsito, na Rua Tamandaré. A nomeação é por um período de um ano.

Conforme o decreto 846/2021, o órgão é composto por seis membros, sendo dois integrantes com conhecimento na área de trânsito (Vilson Laurentino da Silva e Fernando Algarte), dois representantes do Município (João Victor Souza Scarlatto Silva e Rayssa de Almeida) e dois representantes da sociedade (Celso Graminho e Luiz Alberto Sardinha).

De acordo com o major Vilson, a JARI analisa recursos relativos a estacionamento, paradas e circulação. “No âmbito do Município, são multas de desobediência ao estacionamento regulamentado, atravessar o semáforo com sinal vermelho ou estacionamento em calçadas”, exemplifica.

Ainda segundo o presidente da JARI, os motoristas podem entrar com recursos em três instâncias. “Na defesa prévia, o julgamento é feito pelo funcionário do Departamento de Trânsito. Depois, há a possibilidade de um recurso que é analisado pelos membros da JARI e há ainda o recurso junto ao Cetran, em Curitiba”, explica.

O presidente da JARI afirma ainda que houve neste ano uma mudança na legislação e o prazo para análise dos recursos foi alterado. “O prazo, que era de 5 anos, passou para 180 dias. Temos cerca de 200 recursos represados e vamos acelerar os trabalhos para colocar as análises em dia”, frisa o major Vilson.

Deixe seu comentário