08/07/2021

Mesmo com uma melhora recente nos indicadores, o Paraná é ainda um dos principais epicentros da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus no Brasil.

Segundo informações do Farol Covid, o estado apresenta hoje a maior média móvel (últimos 7 dias) de novas mortes por 100 mil habitantes, a segunda maior média móvel de casos novos por 100 mil habitantes e também tem a segunda maior taxa de contágio da doença entre todas as unidades da federação.

Com relação aos óbitos, o Farol Covid apontava ontem que nos últimos sete dias o Paraná havia registrado 1,35 mortes por 100 mil habitantes, valor superior aos verificados no Mato Grosso do Sul (1,25) e em São Paulo (1,11), que aparecem logo atrás do estado paranaense. Na última semana, entre 30 de junho e 6 de julho, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) divulgou um total de 1.180 falecimentos em decorrência de complicações causadas pela doença pandêmica.

Quanto aos casos novos, apenas o estado de Roraima, no norte do país, apresenta uma média móvel maior de diagnósticos por 100 mil habitantes, com 40,66, enquanto o Paraná registrou nos últimos 7 dias 38,81 casos novos por 100 mil habitantes. Rondônia, também localizado no norte do país, aparece logo atrás, com 37,48. Na última semana, também entre os dias 30 de junho e 6 de julho, o estado divulgou 29.435 diagnósticos positivos para a presença do novo coronavírus.

No que diz respeito à taxa de contágio, o Paraná também aparece na segunda colocação entre todas as unidades da federação, atrás apenas do Rio Grande do Norte. Enquanto o estado nordestino tem um R(t) de 1,83, o sulista apresenta uma taxa de 1,44, o que aponta para uma tendência de agravamento da situação pandêmica nos próximos dias ou semanas.

Por fim, uma boa notícia. É que o Paraná aparece com destaque no que diz respeito à cobertura vacinal, com 20,7% dos paranaenses já tendo tomado ao menos uma dose da vacina contra a Covid-19, conforme o Farol Covid. Em todo o país, apenas o Rio Grande do Sul (26,34%), o Mato Grosso do Sul (23,8%), o Espírito Santo (23,1%) e o Rio de Janeiro (21,16%) apresentam um porcentual maior da população já vacinada. Fonte: Rodolfo Luis Kowalski/Bem Paraná

Deixe seu comentário