Foto: Reprodução/Facebook

15/01/2021

A médica paranaense Claudia Moschen Antunes fez um relato emocionante nas redes sociais para contar a história sobre a internação de seu próprio pai, Vitor Soares Antunes, e o posterior falecimento dele por conta da Covid-19. A

postagem foi feita no dia 10 de dezembro de 2020, enquanto ele estava internado, mas viralizou na internet recentemente e conta com mais de 900 compartilhamentos e 2 mil reações. Ele morreu no dia 2 de janeiro, em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, conforme informações do Portal Banda B.

No relato, ela conta que a oxigenação do pai caiu no décimo dia, foi internado e, dois dias depois, a médica tomou a decisão mais difícil de sua vida: entubá-lo. Um processo difícil, como Claudia afirma diversas vezes na publicação. Ela diz nunca ter perdido a esperança e que passava madrugadas ao seu lado.

“Todos os dias quando chego à UTI [Unidade de Terapia Intensiva] eu sorrio e digo: bom dia pai, força! Uma lágrima vai nascer mas não posso chorar pois molha a máscara e tenho outros pacientes pra ver, então respiro fundo e continuo pois muitos dependem do meu cuidado”, relembra a profissional de saúde. Ela agradece os profissionais da saúde que trabalharam com ela nos cuidados do pai e dos outros pacientes com Covid-19.

“Lá dentro trabalham anjos anônimos que fazem o mundo valer a pena. Divido seus cuidados com uma equipe fantástica que cuida de cada paciente como se fosse seu… médicos irmãos que me ajudam diariamente e me confortam!”, escreve.

A médica também explica na publicação sobre os cuidados tomados atuando na linha de frente no combate à pandemia. Ela disse ter se distanciado da família para evitar qualquer tipo de possibilidade de contágio. Claudia lamenta ele ter sido contaminado por pessoas que acham o distanciamento social um exagero.

“Pessoas que acham um exagero o distanciamento social, que usam a máscara na boca ou que reclamam que estão cansados de ficarem em casa. Pessoas que não conhecem a compaixão e o respeito, que não sabem o que é viver em comunidade onde todos protegem a todos”, relata. Por fim, ela diz que, de onde seu pai estiver, ele estaria pedindo para as pessoas se cuidarem, como ele não fez. A médica ainda alerta sobre a doença. “O vírus não tem preferência por idade…ele escolhe algum e escolheu você pai !”

Confira o emocionante relato na íntegra:
“Sim esse é meu pai. Vítima da Covid 19 com quadro grave, entubado na UTI. Foi difícil pegar o resultado do seu exame, foi difícil tratar você…você dizia que estava ótimo. Foi no décimo dia que sua oxigenação caiu… internou imediatamente, recebeu todo suporte rápido e mesmo assim 56 horas depois eu tomo a mais difícil decisão da vida… te entubar! Quando você chegou ao hospital eu brinquei : você quis vir conhecer nossa unidade de tratamento da covid por dentro ( hehehe )… quem imaginaria ….. Foi difícil ver você piorando, foi difícil dizer que não podia voltar pra casa pois não estava bom, foi difícil ver você com tanta falta de ar e tosse que te sufocava. Tive medo sozinha… no meio da madrugada éramos eu e você! Perguntei apenas uma vez : porque ? Nunca saberei….mas sei que tudo tem um motivo e um sentido. Deus sabe o porque mesmo quando não estamos preparados para isso. Mas vocês me ensinaram a ter coragem… foi difícil juntar seus pertences do quarto e levar pra minha casa. Pensei: como somos finitos… alguns minutos e seu celular, sua carteira, seu óculos, seus livros, tudo já não era mais seu!

Todos os dias quando chego a Uti eu sorrio e digo: bom dia pai, força! Uma lágrima vai nascer mas não posso chorar pois molha a máscara e tenho outros pacientes pra ver, então respiro fundo e continuo pois muitos dependem do meu cuidado. Sento para prescrever os pacientes com você ao meu lado, será que me ouve ? Talvez… Cada alarme que toca vindo de você faz meu coração parar. Cada telefone do hospital agora pode ser pra mim, a filha do seu Vitor Soares Antunes . A mortalidade de uma boa UTI é menor que 20% então existe mais esperança do que sofrimento nesse ambiente. Lá dentro trabalham anjos anônimos que fazem o mundo valer a pena. Divido seus cuidados com uma equipe fantástica que cuida de cada paciente como se fosse seu….. médicos irmãos que me ajudam diariamente e me confortam!

Cuidei por meses para não transmitir esse vírus a meus familiares, me isolei para proteger a todos enquanto cuidava daqueles que adoeciam, mas você foi contaminado por outras pessoas. Pessoas que acham um exagero o distanciamento social, que usam a máscara na boca ou que reclamam que estão cansados de ficarem em casa. Pessoas que não conhecem a compaixão e o respeito, que não sabem o que é viver em comunidade onde todos protegem a todos. Você não se cuidou pai e não foi cuidado, hoje você sofre cheio de drenos, cateteres e acessos…e todos ao seu redor também. Eu sigo aqui, como filha a noite rezando pra você melhorar e como médica durante o dia fazendo você melhorar… Pai tenho certeza que onde estiver diria pra todo mundo: se cuidem, não façam como eu, não vivam como se fôssemos imortais pois a qualquer momento alguém pode chegar pra levar seus pertences pra casa! O mundo não vai acabar se você não viajar mas poderá acabar se você não se cuidar. O vírus não tem preferência por idade…ele escolhe algum e escolheu você pai !” Fonte: Banda B

Deixe seu comentário