05/01/2021

Morreu nesta quarta-feira, 5, a médica Mirian Hideco Takahashi, professora de Endocrinologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Ela faleceu aos 58 anos em um hospital de Maringá, após passar por cirurgia devido a um tumor cerebral.

Mirian era casada com o médico Ricardo Bittencourt Albuquerque, diretor clínico e coordenador do Serviço de Anestesiologia do Hospital Santa Casa de Maringá. Além do marido, Miriam deixa um filho de 16 anos, três irmãos, sobrinhos e também a mãe, Haruko, que se encontra sob tratamento médico, segundo informações do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR).

Natural de Alto Paraná, Mirian tinha 36 anos de formação em medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente, além de professora da UEM, era médica e pesquisadora na Clínica e Pesquisa em Endocrinologia de Maringá (Clipem). Também foi professora da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Ela fez residência médica em Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital de Clínicas da UFPR e se tornou membro da LATS (Latin American Thyroid Association) e Endocrine Society. Fez mestrado em Endocrinologia Clínica e doutorado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), além de pós-doutorado pela Universidade de Nagasaki (Japão). Foi bolsista, desenvolveu atividades de pesquisa e concluiu formação no Institute of Endocrinology (Hormone Assay Center, Gunma University, Maebashi, Japão) e no Addenbrooke’s Hospital – Cambridge University (Inglaterra).

Diversas entidades e profissionais da área lamentaram a morte de Mirian Hideco Takahashi. Entre eles o presidente do CRM-PR, Roberto Issamu Yosida, que se formou com ela em 1985 na UFPR. “A doutora Miriam foi uma médica com todas as letras. Minha colega de turma. Estudiosa, inteligente, humorada, com grande capacidade de raciocínio clínico. Feliz é quem deixa impregnado nas pessoas um pouco de si todos os dias! Certamente deixou de si em todos nós e nos seus alunos”, disse. Fonte: Lethícia Conegero/gmconline.com.br

Deixe seu comentário