Foto: Reprodução/Rafael Menegucci / Bothrops itapetiningae

27/01/2021

Uma menina de 3 anos foi picada duas vezes no tornozelo esquerdo por uma cobra jararaca quando estava em meio a uma plantação de feijão junto com um familiar, por volta das 19 horas de terça-feira (26), em propriedade rural rural nas imediações da localidade do Leão do Norte, no município de Marilândia do Sul.

Inicialmente a criança foi levada para o Centro de Saúde de Marilândia do Sul, onde recebeu os primeiros atendimentos. Em seguida ela foi levada ao setor Materno Infantil do Hospital da Providência, em Apucarana. A menina recebeu o atendimento adequado e segundo informações, seu quadro de saúde é estável. O caso é acompanhado por médicos especialistas da cidade de Londrina.

O veneno da jararaca pode provocar lesões no local da mordida, tais como hemorragia e necrose que podem levar, em casos mais graves, a amputações dos membros afetados. A ação do veneno no organismo apresenta, até seis (6) horas após o acidente, muita dor, edema (inchaço), calor e rubor no local da picada. Pode haver sangramentos no local da picada ou distante dele (gengivas, nariz, outros locais). Entres seis (6) a doze (12) horas após a picada podem surgir bolhas, equimoses (manchas escuras), oligúria, anúria e insuficiência renal aguda (IRA), podendo levar à morte.

Portanto, a vítima deve ser conduzida o mais breve possível para o serviço de saúde que possui soro antibrotrópico. O médico que se depara com este quadro deve preocupar-se com as medidas de suporte (analgésicos, drenagem postural, hidratação), profilaxia do tétano e principalmente com a soroterapia.

Deixe seu comentário