07/06/2021

Eles afirmam que estão indignados porque telefonam para a Guarda Municipal (GM) pedindo providências e a resposta seria de que não há viatura disponível.

Moradores dos bairros Jardim Casagrande, Vale Verde e Jardim América, em Apucarana encaminharam fotos e vídeos ao portal 38 News mostrando jovens e crianças soltando pipas com linhas que eles afirmam estarem com cerol, gerando riscos às pessoas. Eles afirmam que estão indignados porque telefonam para a Guarda Municipal (GM) pedindo providências e a resposta seria de que não há viatura disponível.

Também há o risco da pipa enroscar na rede elétrica e provocar a morte de quem a epina e desligamentos da energia elétrica. Por isso Copel visita escolas para levar palestras a estudantes de ensino fundamental sobre os cuidados que se deve ter com a energia elétrica ao soltar pipas.

CUIDADOS – Procurar por um local afastado da rede elétrica é a primeira dica para quem quer soltar pipa em segurança. A conversa com as crianças enfatiza ainda se o brinquedo enroscar nos fios, jamais se deve tentar retirá-lo. A Copel ressalta que o uso de cerol ou materiais metálicos potencializam o risco de choque e, por isso, nunca devem ser utilizados na confecção do brinquedo.

LEI – Uma lei aprovada pela pela Assembleia Legislativa do Paraná proíbe a posse, uso, fabricação, comercialização e transporte da mistura de cola e vidro, popularmente conhecida como cerol ou linha chilena, comumente utilizada para atribuir efeito cortante aos fios de pipas, papagaios, pandorgas e bidês. A norma já está em vigor.

PENALIDADES – Conforme a lei, o descumprimento sujeita o infrator ao pagamento de multa nos seguintes valores, a partir de agosto: R$ 1.062,20 (dez vezes a Unidade Padrão Fiscal do Paraná, de R$ 106,22), quando pessoa física; e R$ 2.124,40 (vinte vezes a UPF/PR), quando pessoa jurídica. As multas são de R$ 1.059,40 e R$ 2.118,80, respectivamente. As penalidades financeiras previstas na lei podem ser aplicadas em dobro no caso de reincidência.

Deixe seu comentário