09/06/2022

Moradores da zona rural de Cambira, nas imediações da chácara do Calcário da Prefeitura, estão denunciando um lixão a céu aberto no local e que seria a própria prefeitura do município que faz o descarte irregular.

De acordo com os denunciantes, o pessoal da prefeitura está descartando lixo orgânico, entulho, restos de construções, plástico, medicamentos, mobília e galhos no local.

A situação, conforme os moradores, seria um verdadeiro descaso com o meio ambiente. Eles acrescentam que para piorar a situação todas as noites é colocado fogo no lixão. Os moradores nas redondezas do lixão a céu aberto cobram os responsáveis pelo departamento de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal, que não tomam nenhuma providência para acabar com o crime ambiental.

Os denunciantes acrescentam que há pouco tempo a própria prefeitura de Cambira divulgou que o aterro sanitário havia encerrado as atividades com resíduos orgânicos e que os mesmos estariam sendo levados para uma usina especializada, para tratamento e destinação corretos, mas os moradores das redondezas frisam que, na verdade, não é isso que está acontecendo, pois a Chácara do Calcário da Prefeitura de Cambira se transformou em um lixão a céu aberto

A denúncia vai além: a própria gestão do prefeito Toledo Pires estaria descartando no local lixo orgânico, restos de construções, plástico, medicamentos, mobília e galhos, em total desrespeito à legislação ambiental, o que configura crime ecológico. “Onde estão os responsáveis pelo Meio Ambiente da Prefeitura? Precisamos avisar o Ministério Público para que a Promotoria tome as providências cabíveis”, disse um dos reclamantes.

Segundo a reportagem do Blog do Berimbau, a secretaria municipal de Meio Ambiente de Cambira, no entanto, afirma que desconhece o que foi informado na denúncia. A gestão do prefeito Toledo Pires alega que o aterro foi fechado e no local teria ficado apenas material reciclável, tentando empurrar a responsabilidade pelo descaso com o meio ambiente para a Associação de Recicladores do município.

Deixe seu comentário