Foto: Reprodução/ Luciana Peña/CBN Maringá

10/08/2021

Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 9, o procurador-geral do Município de Maringá e o secretário-chefe de Gabinete apresentaram a petição que será impetrada na Justiça contra o Estado do Paraná.

É uma Ação Ordinária de Obrigação de Fazer com pedido de tutela de urgência. A prefeitura quer que a Secretaria Estadual de Saúde volte a destinar 50% das doses enviadas para a 15ª Regional de Saúde a Maringá, uma vez que aqui está 50% da população da região.

No fim de semana, o prefeito Ulisses Maia se queixou nas redes sociais de um boicote por parte da Sesa, justamente depois que Maringá começou a se destacar na vacinação de 1ª dose.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Paraná disse que o importante é vacinar todos os paranaenses.

O chefe de Gabinete da Prefeitura, Domingos Trevizan, disse que não é uma disputa política. “Maringá pretende vacinar sua população dentro do planejamento de todo o Estado do Paraná, mas o porcentual de vacinas que estamos recebendo não vai garantir a imunização dentro dessa programação. Nós estamos recebendo em torno de 35 a 38% de cada lote recebido pela 15ª Regional, quando deveríamos receber 50,58%. A Justificativa é que o Estado, ao ver que estávamos adiantados, só viu o ‘número seco’, não percebeu que a gente atendeu muita gente da região, e ao agir dessa forma, ele vai prejudicar aquelas pessoas que moram no município de Maringá. Nós não bloqueamos o acesso a vacina de nenhum grupo prioritário. Aqueles que procuraram as UBSs com alguma comorbidade foram atendidos, sejam moradores daqui ou da região”, explicou.

A Vara da Fazenda Pública, que vai apreciar a ação, pode se manifestar em até 72 horas. A tutela de urgência é um dispositivo para que haja uma decisão antes da apreciação do mérito da ação pelo juízo. Na ação o município não pede doses retroativas, apenas que a distribuição dos próximos lotes seja na proporção da população. A Sesa informou que o secretário Beto Preto vai se pronunciar sobre o assunto nesta tarde após reunião do secretariado.

Deixe seu comentário