01/11/2019

O mês de novembro adotou a cor azul para promover ações de prevenção à saúde do homem. O movimento Novembro Azul é internacional; surgiu em 17 de novembro de 2003 como forma de divulgar o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, seguindo o modelo do Outubro Rosa, que destaca o combate ao câncer de mama e de colo de útero na mulher.

No Brasil, o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais desenvolvem hoje ações que buscam estimular a população masculina a dedicar mais atenção à saúde, ampliando o foco para além do câncer de próstata. Neste ano, o Novembro Azul apresenta o tema -” Homens como protagonistas do cuidado de sua saúde em todas as fases da vida.”

“A tendência do homem não se programar para consultas de rotina ainda prevalece em nossos levantamentos de dados; das consultas realizadas nas unidades de saúde, 66% são para mulheres e 34% para os homens. Nós queremos ampliar este atendimento e, como médico e secretário da Saúde do Paraná, reforço o alerta para que os homens adotem o hábito das consultas rotineiras, aliando aos de alimentação saudável e prática esportiva, e que  incentivem seus filhos, sobrinhos, netos e amigos a fazerem o mesmo; são hábitos que significam prevenção e mais saúde”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Homens – Os programas da Atenção Primária do Estado do Paraná contemplam a população masculina em todas as faixas etárias, começando pelo calendário vacinal, nos primeiros meses de vida.

Já na fase da adolescência, entre 11 a 14 anos, destaque para a vacina do HPV, que protege contra doenças infecciosas da pele e das mucosas atingindo principalmente a região genital, podendo se transformar em vários tipos de câncer.

“Para o adulto jovem nosso trabalho foca o acolhimento junto aos nossos serviços. Se este primeiro contato do homem com a unidade de saúde é positivo, a chance de retorno é grande e aí podemos atendê-lo integralmente”, informa a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

Entre os programas ofertados pela Secretaria Estadual da Saúde estão os de  prevenção e controle de doenças crônicas e prevalentes como obesidade, diabetes, hipertensão, cardiopatias e doenças transmissíveis, como Aids, hepatites e sífilis.

A Sesa investe também na prevenção de causas externas da mortalidade masculina. Segundo Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 80% das causas de mortes de homens, na faixa dos 15 aos 29 anos, estão relacionadas a fatores como acidentes, violências e vícios.

“Por isso investimos em programas que buscam reduzir este índice. O programa do Tabagismo, por exemplo, oferece tratamento gratuito para quem está na luta contra o cigarro; o  programa Vida no Trânsito, que alerta sobre os riscos de acidentes de carro nas áreas urbanas e nas rodovias, o programa de Saúde do Idoso, que promove ações para envelhecimento saudável. A meta da Sesa nesta gestão é investir na prevenção para evitar que as pessoas fiquem doentes; nosso foco é o processo da saúde e não da doença. As 22 Regionais de Saúde do Estado têm ações em parcerias com os municípios e outras instituições para a integração do homem aos programas”, complementa Maria Goretti.

Segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Paraná (Ipardes), o Estado tem hoje mais de 10,6 milhões de habitantes; a população masculina soma 5,238 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui