17/09/2021

Força-tarefa cumpre 19 mandados de busca e apreensão no DF, Paraná e em São Paulo. Justiça também determinou bloqueio de R$ 16,1 milhões em bens dos investigados.

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (17), uma operação para investigar fraudes contra o Instituto de Previdência Complementar Postalis, o fundo de pensão de funcionários dos Correios. Segundo a investigação, os gestores recebiam uma espécie de “comissão” em troca da indicação de empresas para gerir os ativos e atuar no aconselhamento técnico-jurídico da entidade.

A operação, batizada de “Amigo Germânico” (veja detalhes abaixo), cumpre 19 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, e em cidades do Paraná e São Paulo. A TV Globo apurou que um dos endereços é a sede dos Correios.

Além disso, a Justiça do Distrito Federal determinou o bloqueio de R$ 16.147.968,14 em bens dos investigados. O valor corresponde à estimativa dos prejuízos causados ao sistema de Previdência, segundo a PF.

Os envolvidos podem responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e corrupção passiva e ativa. Se somadas, as penas podem chegar a 42 anos de reclusão.

Além disso, a Justiça do Distrito Federal determinou o bloqueio de R$ 16.147.968,14 em bens dos investigados. O valor corresponde à estimativa dos prejuízos causados ao sistema de Previdência, segundo a PF.

Os envolvidos podem responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e corrupção passiva e ativa. Se somadas, as penas podem chegar a 42 anos de reclusão.

‘Amigo Germânico’

O nome da Operação faz alusão ao codinome de um dos investigados, que, segundo a PF, era chamado pelos demais membros do grupo como “amigo alemão”.

Prejuízos

O instituto de previdência complementar dos Correios tem registrado prejuízos e tem sido alvo de uma série de investigações sobre fraudes em investimentos.

Em abril de 2017, o Tribunal de Contas da União (TCU) identificou prejuízo de mais de R$ 1 bilhão nos fundos de investimentos que integram o Postalis e, à época, determinou a indisponibilidade de bens por um ano dos ex-diretores e ex-membros do Comitê de Investimentos do instituto.

O prejuízo foi causado, segundo a Corte, por investimentos fraudulentos, negligentes e em desacordo com a política interna de investimentos do fundo.

Na decisão, os ministros decidiram que os Correios não deveriam ser responsabilizados pelos prejuízos, mas determinaram que a estatal elaborasse, em 90 dias, um plano com ações para melhorasse a fiscalização do Postalis e o acompanhamento da gestão de investimentos do fundo.

O que são fundos de pensão?

Os fundos de pensão são uma opção de investimento que visa a aposentadoria complementar ao trabalhador. São oferecidos pelas empresas aos seus trabalhadores, de modo que elas contribuem com uma parte do valor e o restante é descontado do trabalhador.

Só podem ser cotistas de fundos de pensão os empregados de uma empresa patrocinadora e os servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios e também os associados ou membros de pessoas jurídicas de caráter profissional, classista ou setorial.​

Por Wellington Hanna e Marília Marques, TV Globo e G1 DF

Deixe seu comentário