15/01/2022

Policiais militares do destacamento de Cambira e da Rotam de Jandaia do Sul apreenderam, na noite de sexta-feira (14), um adolescente de 16 anos que estava com um pistola cromada e municiada, após ele e três comparsas serem flagrados em um Fiat Pálio com marcas de projéteis de arma de fogo.

Segundo informações, o menor assumiu a autoria de dois homicídios e uma tentativa de assassinato na cidade de Mandaguari, em decorrência de supostas desavenças por conta do tráfico de drogas e após um tio dele ser morto a tiros por rivais.

De acordo com boletim de ocorrência da PM, uma equipe da Rotam de Jandaia do Sul recebeu informações dando conta que um automóvel Fiat Pálio branco, com marcas de tiro no para-brisas, havia parado em via pública na cidade de Cambira e quatro elementos teriam corrido para um terreno baldio após ver uma ambulância do Samu e pensarem que era uma viatura policial. Na sequência, dois dos quatro indivíduos retornaram para o carro e saíram com o mesmo rumo à BR-376.

Os policiais militares foram para a rodovia, visualizaram o Fiat Palio e no momento da abordagem o condutor do carro, que sozinho no automóvel, e foi identificado como sendo um menino de 16 anos. Ele contou aos policiais militares que tinha participado de uma tentativa de assassinato em Mandaguari e ainda revelou ter matado dois homens na cidade há alguns dias. O adolescente disse também que tinha escondido uma pistola Taurus modelo PT 58 HC Plus com duas munições intactas em um terreno baldio. A arma de fogo acabou encontrada pelos policiais militares.  Com o menor a PM achou também duas porções de maconha.

O adolescente não informou os nomes dos demais elementos que estariam com ele e confirmou que praticou os crimes em razão de uma “guerra do tráfico”. O infrator disse ainda que os homens que ele matou teriam ido até sua casa, quebraram o braço de sua mãe, incendiaram a moradia e que depois assassinaram seu tio. O menor foi encaminhado junto com a pistola, munições e a maconha apreendidas à 17ª Subdivisão Policial (SDP) de Apucarana para os procedimentos legais. O Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente e a Promotoria da Infância e Juventude foram informados sobre a situação.

Deixe seu comentário