10/10/2020

Quando era abordado pelos policiais militares, Luiz Carlos Uyeda Junior, de 30 anos, investiu contra os policiais militares, desferindo vários socos, cabeçadas e chutes, além de afirmar que já havia “puxado 12 anos de cadeia” e dizer que ao sair da prisão “vai matar os policiais que o prenderam, pois é do PCC”.

Um homem de 30 anos que foi preso no início da noite de sexta-feira (9) em residência na Rua Ítalo Ado Fontanini, no centro de Apucarana, em cumprimento a mandado de prisão e sob a acusação de traficar cocaína no imóvel, deu muito trabalho a equipes da Polícia Militar (PM), além de fazer graves ameaças às equipes e se autoproclamar membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Na moradia dele a PM apreendeu 23 pinos de cocaína prontos para a comercialização, além de diversos eppendorfs vazios.

De acordo com boletim de ocorrência da PM, uma equipe da corporação realizava patrulhamento pela Rua Ítalo Ado Fontanini quando visualizou Luiz Carlos Uyeda Junior, de 30 anos, contra o qual havia mandado de prisão de número 1139147-25 pelos crimes de roubo, furto e receptação. Ele estava na garagem da sua casa e ao receber voz de abordagem o mesmo não acatou e saiu correndo para dentro da residência. Em seguida, ao ser alcançado pela equipe, Luiz investiu contra os policiais militares, desferindo vários socos, cabeçadas e chutes, porém com uso de força gradativa, técnicas de imobilização e algemas ele acabou contido. Conforme a PM, na sequência, enquanto era conduzido para o camburão, o detido ameaçou os policiais militares com as seguintes frases: “Eu não sou primário, vocês vão se f…! Já puxei doze anos de cadeia! Pode ter certeza seus arrombados, raça do capeta, que quando sair da cadeia vou matar vocês! Aqui é do comando e vou achar vocês!”.

A PM destacou ainda que durante a permanência do preso no camburão da viatura o mesmo desferiu cabeçadas e chutes, vindo a danificar tal compartimento, conforme atestam fotos tiradas por policiais militares e civis. Como Luiz era alvo de denúncias sobre tráfico de drogas, além de ter mandado de prisão por roubo, furto e receptação, os PMs pediram apoio para realizar busca domiciliar, tendo a convivente do preso acompanhado toda a busca. Policiais militares acharam na moradia uma sacola plástica contendo 23 pinos cheios de cocaína e ainda um pacote com mais de 50 pinos da mesma coloração vazios, dentro de um guarda-roupas no quarto do preso.

A PM ressaltou que durante todo o trajeto da residência de Luiz até a Delegacia de Apucarana, o mesmo não parava de golpear o camburão e fazer ameaças. Ao adentrar a sala onde são confeccionados os boletins de ocorrências na 17ª SDP, o preso passou a dar cabeçadas na parede, lesionando a parte frontal do seu crânio em vários lugares e manchando as paredes de sangue. Ele acabou enquadrado legalmente por tráfico de drogas, ameaça, resistência, desacato, dano ao patrimônio público, além de ter sido dado fiel cumprimento ao mandado de prisão em seu desfavor. Luiz Carlos Uyeda Junior permanece recolhido ao minipresídio de Apucarana, à disposição do Judiciário.

Deixe seu comentário