Imagem ilustrativa

14/05/2022

Policiais militares de Apucarana precisaram usar arma de choque (equipamento incapacitante elétrico) e ter muito empenho para conter e algemar um homem embriagado e transtornado, às 23h56 de sexta-feira (13), na Rua Liberato Nolli, no Jardim Interlagos, depois que o indivíduo agrediu e ameaçou a esposa após imaginar suposta traição e brigou com um filho que tentou defender a mãe. Segundo informações, a confusão teve início dentro da moradia e só acabou em uma rua a dois quarteirões da casa da família.

De acordo com boletim de ocorrência, uma filha da mulher acionou a PM e relatou que o pai estaria em luta corporal com seu irmão, que saiu em defesa da mãe. Ainda durante o deslocamento dos policiais militares, outra ligação anônima informou que o elemento estaria com uma faca, ameaçando a mulher e o filho. Outra viatura de reforço da PM foi para o local, com o dispositivo elétrico incapacitante, equipamento utilizado em situações de atendimento de casos com arma branca.

Os policiais militares encontraram a casa já vazia. Populares disseram à PM que a família teria saído à rua e ido em direção a outra quadra do Jardim Interlagos. As equipes chegaram à Rua Marilza Keiko Rolim, onde os policiais se depararam com o homem gesticulando os braços e gritando com um outro rapaz. Populares indicaram que o indivíduo seria o autor das agressões.

Os policiais tentaram abordá-lo, mas o homem não acatou as ordens. O elemento tirou a blusa e a camisa e dizia que não iria colocar as mãos na cabeça. Ele gritava para que os policiais atirassem nele, dizendo que teria acabado de descobrir que teria saído traído pela esposa.

Transtornado, ele fez um gesto como se fosse pegar algo na cintura e em seguida os policiais fizeram o uso do dispositivo elétrico incapacitante. Mas o equipamento não funcionou direito e o indivíduo em surto reagiu, partindo para cima dos policiais militares com socos e chutes, mas ao final acabou contido e imobilizado pelos PMs, sendo algemado na sequência.

A vítima contou aos policiais militares que estava na residência quando o marido chegou embriagado e agitado e começou a acusá-la de traição, a ofendê-la e a ameaçá-la de morte, após dizer que teria visto um homem pulando da janela da moradia.

A mulher afirmou que ligou para a filha porque estava com medo de ser agredida e esta pediu ao irmão para socorrer a mãe. A vítima de violência doméstica e ameaças ainda tentou sair da residência, mas foi impedida pelo marido, que a empurrou. E, quando o filho chegou, tentou resolver de forma verbal e pacífica a situação, mas teria reagido quando o pai empurrou a mãe. 

Pai e filho então começaram a brigar, o que resultou em uma escoriação leve no antebraço esquerdo do filho. Já o homem alterado estava com escoriações leves nos braços e nas costas. Os policiais disseram, porém, que em momento algum viram alguma faca na mão do homem. Ele foi preso pelos policiais militares e levado junto com as vítimas à 17ª Subdivisão Policial (SDP) de Apucarana para os procedimentos legais.

Imagem ilustrativa

 

Deixe seu comentário