13/02/2020

A Polícia Civil de Maringá deflagrou nesta quinta-feira (13), uma fiscalização que visa coibir a confecção e comercialização irregular e ilícita de placas veiculares. A ação ocorreu em diversas estampadoras de placas em várias regiões da cidade.

De acordo com a corporação, os suspeitos que seriam funcionários das empresas sem o conhecimento dos proprietários, burlam o controle estabelecido pelo Departamento de Trânsito (Detran) e alimentam a ação de criminosos que subtraem veículos. “É um problema que deve ser eliminado. A placa é o primeiro item adquirido para a adulteração do veículo, dificultando a localização pelos órgãos de segurança pública”, explica o delegado-chefe da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículo (DRFV) de Maringá, Dr. Luiz Alves.

Ainda segundo a DRFV, esses suspeitos cobram, em média, R$ 250 pelos serviços. Após a adulteração da placa, os bandidos conseguem tempo para promoverem a completa adulteração do veículo, como vidros, chassi, motor e etiquetas.

A operação contou com o apoio do chefe do Detran de Sarandi, o apucaranense Rafael Silva.

Veja vídeo completo:

Deixe seu comentário