Foto: Reprodução/YouTube

14/05/2022

Usuários do transporte coletivo urbano de Apucarana reclamaram novamente na sexta-feira (13/05) ao Canal 38 da superlotação nos coletivos e demora em várias linhas em razão do número reduzido de veículos disponibilizados pela empresa Val, que é subsidiada pela prefeitura de Apucarana, mas não é fiscalizada pela mesma, como deveria ocorrer com uma empresa permissionária, que assinou contrato com a prefeitura após licitação.

Passageiros dos ônibus registraram imagens de coletivos superlotados circulando pela cidade em diferentes linhas do município e encaminharam à redação do Canal 38. Na linha para o distrito de São Domingos, por exemplo, o ônibus está lotado e ninguém cede lugar para mulheres com crianças sentarem. Segundo os usuários, seriam necessários dois ônibus para aquela linha.

A aglomeração nos veículos submete os passageiros a uma situação de sofrimento e a pandemia de Covid-19 que ainda não acabou, inclusive com o número de casos da doença tendo aumentado nos últimos dias. 

A prefeitura paga subsídio de R$ 0.60 a empresa Val e ainda autorizou o aumento de R$ 0,40, totalizando um valor de R$ 5,00 para um serviço dessa qualidade. E já é cogitado um novo aumento na tarifa. Muitos usuários afirmam que a prefeitura de Apucarana deveria fiscalizar a empresa de transporte coletivo para que o número de veículos disponíveis estivesse dentro de padrões aceitáveis para evitar o sofrimento da população e fizesse cumprir o contrato, como os pontos de ônibus.

O prefeito Sebastião é generoso e complacente com muitas empresas contratadas pelo município e a administração deixa de exigir o cumprimento dos contratos, sabe se lá porquê as empresas não são punidas. Mas a bem da verdade quem paga a conta e ainda sofre é a população de Apucarana. Veja vídeo enviado ao Canal 38.

CLIQUE AQUI E SE INSCREVA EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Foto: Reprodução/YouTube


Deixe seu comentário