18/01/2021

A possibilidade da instalação de uma praça de pedágio na PR-445. entre Irerê e Mauá da Serra, e outra na BR-376, entre Apucarana e Mauá da Serra causou preocupação em lideranças políticas da região.

O deputado estadual Tercílio Turini, coordenador das discussões de novos contratos na Frente Parlamentar do Pedágio da Assembleia Legislativa do Paraná, rechaça totalmente a proposta, que consta em estudos do Ministério dos Transportes sobre o assunto. O parlamentar afirma que já está trabalhando junto às autoridades competentes para tentar evitar o pior, pois pelo jeito, 2021 será um ano de muitas mobilizações. “Essa é mais uma demonstração da ganância das concessionárias, que cobram tarifas absurdas e lesivas aos paranaenses”, reitera Turini.

Outros deputados estaduais também consideram inaceitável mais uma praça de arrecadação até o porto de Paranaguá, pois serão 7 no total. Conforme parlamentares e lideranças políticas, isto impedirá, ainda mais, o desenvolvimento econômico da região de Apucarana. Os parlamentares salientam que as rodovias são exploradas em regime de concessão de um serviço público e, dessa forma, deve prevalecer o interesse coletivo.

“Onde vamos parar? O que quer o Governo Federal, através do Ministério dos Transportes, em prejudicar o Estado do Paraná? Querem praticamente o mesmo modelo de pedágio que aí está, desde 1997. Todos podem ver, não deu certo. Não podemos permitir tamanha desfaçatez. Em fevereiro, começarão as audiências públicas e teremos que nos mobilizar”, afirma o professor Willian Thiago Lima Caetano, do diretório do partido Cidadania em Apucarana.

Deixe seu comentário