23/04/2020

Proprietários de bares alegam que estão amargando grandes prejuízos, que já vêm afetando até a subsistência de suas famílias.

O prefeito de Apucarana, Junior da Femac, divulgou pronunciamento na internet nesta quarta-feira (22), no qual afirmou que estuda a reabertura do shoppings e academias de ginástica de Apucarana, em horários alternados e com limite de pessoas por estabelecimento, mas ignorou a questão dos bares, cujos proprietários estão amargando grandes prejuízos que vêm afetando até a subsistência de duas famílias.

Júnior explicou que atualmente, esses segmentos (shoppings e academias de ginástica) não essenciais estavam fechados por força de decreto do Governo do Estado, como forma de prevenção durante a pandemia do novo coronavírus. Junior explica que, com uma recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), os municípios passam a ter autonomia para decidir no seu âmbito acerca destas questões, conforme matéria publicada pelo Portal de Notícias do Canal 38 informando da decisão do ministro no início do mês de abril.

“Vamos definir os critérios para reabrir o Shopping CentroNorte e as academias de ginástica, com limitação da ocupação de espaços e regras tais como a disponibilização de álcool gel para higienização das mãos e uso de máscaras”, disse o prefeito na noite de quarta-feira (22), durante transmissão pela página da prefeitura no Facebook.

Muitos apucaranenses questionaram o fato de que o artigo 11 do Decreto 150/2020 estabelecer que os restaurantes, sorveterias, lanchonetes, pastelarias e cafés poderão funcionar no horário habitual, com limitações, mas os bares, que praticamente funcionam de forma similar às lanchonetes, ainda deverão manter suas portas fechadas.

Segundo informações, o prefeito Júnior da Femac esteve reunido com alguns donos de bares nesta quarta-feira (22), mas não deu nenhuma posição concreta sobre a reabertura dos comércios e na live de ontem sequer mencionou sobre os comerciantes.

Com a abertura do shopping e das academias, como as tabacarias já funcionam como lojas de conveniências, praticamente só os bares continuarão fechados na cidade, possivelmente pelas diretrizes da “Gestão Beto Preto” em Apucarana.

Deixe seu comentário