01/10/2020

Depois de abrir pregão eletrônico para a contratação de uma empresa prestadora de serviço especializado para execução de projetos de trabalho social por R$ 470 mil no Residencial Fariz Gebrin, cujas 520 unidades habitacionais sequer foram entregues à população, isso após vários anos de obras e paralisações, com expressivo volume de dinheiro público já gasto no projeto e mais gastos previstos no valor de R$ 65 mil só para “lanchinhos”, agora a Prefeitura de Apucarana volta a direcionar recursos públicos cuja finalidade tem uma conotação contraditória e questionável, principalmente por se tratar de ano político.

O Departamento de Alimentação Escolar, da Autarquia Municipal de Educação (AME) realizou um pregão eletrônico, no dia 28 de setembro para aquisição de produtos alimentícios, no valor de R$ R$ 106.816,80, mesmo com as escolas fechadas em razão da pandemia de Covid-19.

A Prefeitura de Apucarana, através da AME, explicou em edital que marcou o pregão eletrônico realizado na terça-feira (29/09) para aquisição de doces e outros gêneros alimentícios, com gastos de R$ 106.816,80, visando a comemoração do Dia das Crianças, no dia 12 de outubro.

Segundo a AME, doces serão distribuídos a mais de 11 mil alunos da rede municipal de ensino, em 37 escolas e 23 centros de educação infantil.

Resta saber como ocorrerá a distribuição desses doces aos alunos da rede municipal de ensino sem que haja aglomeração e consequente potencialização do risco de contágio por Covid-19?

Sem contar que estamos em ano eleitoral e tal iniciativa pode, em tese, servir como uma forma de se fazer propaganda política usando a estrutura do Poder Público, o que é proibido pela legislação eleitoral.

Deixe seu comentário