30/08/2019

A produção industrial paranaense cresceu 7,8% no primeiro semestre de 2019, melhor resultado dos primeiros seis meses nos últimos nove anos, aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O índice é bem superior ao mesmo período de 2018, quando houve crescimento de apenas 0,2% no setor, e aponta para uma retomada depois das retrações registradas entre 2014 e 2016.

É o segundo melhor índice do País, atrás apenas do Rio Grande do Sul (8%), e bem superior ao nacional, que apontou retração de -1,6%.

 O crescimento do Paraná no semestre foi puxado principalmente pelo bom desempenho do setor automotivo (23,8%), de máquinas e equipamentos (22,2%), alimentos (10,5%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (7,6%). Os números da indústria automobilística paranaense cresceram quase sete vezes mais do que o resultado nacional, de 3,5%.

A retomada na produção industrial foi registrada paulatinamente ao longo de todos os meses do ano no comparativo com os mesmos meses de 2018, mesmo diante de uma pequena retração de -3,3% em junho em relação ao mesmo período do ano passado. Janeiro (9,9%), fevereiro (11,8%) e maio (27,9%) registraram os maiores crescimentos.

Em maio, por exemplo, o Paraná registrou variação de 27,9% em relação ao mesmo mês de 2018, melhor registro de janeiro a julho em relação a qualquer mês do ano passado em todas as unidades pesquisadas (Amazonas, Pará, Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Goiás). Isso aponta para retomada acelerada depois da greve dos caminhoneiros, que impactou os resultados de 2018. Em maio de 2019 o Paraná atingiu índice fixo (indicador do IBGE) que não alcançava desde junho de 2010.

Nos últimos doze meses (encerrados em junho) o aumento na produção industrial do Paraná foi de 5,1%. É o segundo melhor desempenho do país também neste indicador, logo atrás do Rio Grande do Sul (9,4%), e muito distante do Brasil (retração de -0,8%).

NACIONAIS – O desempenho paranaense contrasta com os índices nacionais. O setor industrial brasileiro apresentou retração de -1,6% no primeiro semestre deste ano e acumula três trimestres seguidos de queda na série histórica. Segundo o IBGE, o nível de produção da indústria em junho retrocedeu para o patamar de 2009.

INDÚSTRIA DINÂMICA – Julio Suzuki Júnior, pesquisador do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), afirma que os números refletem o dinamismo do setor industrial do Estado. “O crescimento da indústria paranaense espelha a diversificação da estrutura manufatureira local, que permite atender mercados diversos, tanto no âmbito doméstico quanto em nível internacional”, ponderou.

O pesquisador também aponta que os resultados alcançados são fruto da confiança do industrial no Estado e na retomada da economia brasileira, além do desempenho de segmentos representativos como o de automóveis. “A elevação do nível de emprego, observada nos últimos meses, está atrelada ao aumento de investimentos como um todo no setor”, complementou.

Thiago Ramos, economista da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), aponta que as reformas promovidas pelo Governo Federal podem gerar resultados ainda mais positivos no setor nesse segundo semestre. “Há grande expectativa entre os industriais. A consolidação das reformas previdenciária e tributária vai gerar resultados ainda mais positivos, contribuindo com o desempenho do setor nos níveis regional e nacional”, pontuou.

MAIS EMPREGOS – O Paraná também mantém em 2019 a tendência de crescimento na criação de empregos, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. No acumulado de 2019, o Estado abriu 40.537 vagas, sendo a quarta unidade da federação que mais empregou. De janeiro a julho foram abertas 461.411 vagas formais no Brasil, variação de 1,2% sobre o estoque do mesmo período do ano passado.

CARTEIRA ASSINADA – O Paraná foi o Estado que registrou o maior crescimento na variação de empregados com carteira assinada no setor privado no segundo trimestre de 2019. Houve evolução tanto na comparação com o primeiro trimestre de 2019 quanto com o segundo trimestre de 2018. Os aumentos foram de 3,4% e 4,2%, respectivamente.

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (PNAD Contínua), divulgada pelo IBGE, mostram o Paraná como terceiro Estado com maior percentual de empregados com carteira assinada no setor privado, com 81,4% no segundo trimestre de 2019, atrás apenas de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

ECONOMIA AQUECIDA – Segundo o Índice de Atividade Econômica Regional do Banco Central (IBC-Br), o Paraná aponta crescimento de 2,65% no acumulado dos seis primeiros meses deste ano em comparação a igual período de 2018 (sem ajuste sazonal). O IBC-Br acumulou alta de 0,62% no primeiro semestre do ano no País.

Campartilhe.

Sobre o Autor

**** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal do Canal 38 pelo Whatsapp: (43) 9 8447-1929 ****

Deixe Um Comentário