15/04/2021

Uma tragédia foi registrada na noite de quarta (14) e madrugada desta quinta-feira (15) na região.

De acordo com informações, a professora de Educação Física Eliane Pedrina Henriques, de 40 anos, foi assassinada a facadas em Mandaguari, por Dalcir Bortolanza, de 65 anos, que desovou o corpo da mulher à margem de uma estrada vicinal e na sequência jogou o veículo Fiat Argo com placas de Mandaguari dirigido por ele contra uma carreta, na rodovia que liga Bom Sucesso a Itambé. Dalcir teve morte instantânea. No automóvel, policiais localizaram a faca usada para matar Eliane, suja de sangue.

O acidente ocorrido na rodovia que interliga as cidades de Bom Sucesso e Itambé, na noite de quarta-feira (14 de abril), expôs uma tragédia passional em Mandaguari. A vítima do acidente, Dalcir Bortolanza, conduzia um Fiat Argo bateu de frente com um caminhão de Maringá, dirigido por Pedro Augusto Sarris. O impacto violento deixou o veículo de passeio destruído. Já o condutor do caminhão perdeu a direção e desceu num barranco, caindo fora da pista, mas não sofreu ferimentos. Dentro do Fiat Argo, além do corpo Dalcir Bortolanza, havia uma faca suja de sangue e uma bolsa com pertences pessoais da professora Eliane Pedrina Henriques, o que levou a Polícia Civil a suspeitar que Dalcir tivesse cometido algum crime.

Foi apurada a identidade e o endereço de Dalcir e, horas depois, todos os detalhes da tragédia vieram à tona, ou seja, que Dalcir morava em Mandaguari, onde por motivos supostamente passionais, decidiu matar a professora de Educação Física, Eliane Pedrina Henriques. O corpo foi encontrado na Estrada Rochedo, nas proximidades da Aurora, local escolhido por Dalcir para desovar o cadáver. Já o veículo, Fiat Argo, pertence a Eliane, e foi usado pelo Dalcir para chegar até a rodovia entre Bom Sucesso e Itambé, onde ele, supostamente, poder ter cometido suicídio, jogando o automóvel contra a carreta.

A Polícia Civil de Mandaguari, segue investigando. Com informações de André Amaral, de Jandaia do Sul, e Roberto Júnior, do Portal Agora, de Mandaguari.

Deixe seu comentário