21/11/2020

O Promotor Público Eleitoral Eduardo Augusto Cabrini concedeu uma entrevista nesta semana ao Canal 38 durante a qual afirmou que infelizmente aconteceram algumas situações que foram flagradas de irregularidades eleitorais.

“Posso dizer que aqui em Apucarana foram encontradas duas situações de flagrante pela situação de boca de urna, assim como em Cambira também foram flagradas 3 pessoas realizando boca de urna, as quais foram encaminhadas para a Delegacia para as providências de termo circunstanciado. Isto foi noticiado porque que não pode, mas infelizmente não é difícil de acontecer, como de fato nesta eleição ocorreu. A Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral estão atentos sempre para coibir este tipo de situação”, frisa o promotor

Conforme o representante do Ministério Público, serão analisadas individualmente cada uma destas situações assim como a do sistema pardal, que é o sistema da Justiça Eleitoral pelo qual são encaminhados, vídeos, fotos e denúncias registradas no período da eleitoral.

“Vamos fazer uma análise e verificar se existe algum indício de ilicitude narrado e ver se as irregularidades que foram apontadas pelos munícipes de forma geral e ao candidato que foi flagrado pela ação de compra de voto pode ser deflagrado um processo que se chama de ação de investigação judicial eleitoral, refletindo eventualmente até vai ser feito uma ação onde vão ser cassados o diploma, onde não venha a ser expedido o diploma do candidato. Mas é muito cedo ainda, não dá para afirmar que isto vai acontecer; primeiro vamos fazer a investigação individualmente de cada um desses casos, ver se realmente aconteceu irregularidade e se o ocorrido é caso de ajuizamento desta ação de investigação judicial eleitoral, que a gente chama de “AIJE”, e aí pode ter consequências sérias ao candidato, o que depende de provas e a gente ainda não pode afirmar de antemão que aconteceu irregularidades, pois estamos apurando algum tipo de irregularidade, principalmente aquelas que foram enviadas pelo sistema pardal”, finaliza o promotor Eduardo Augusto Cabrini.

Deixe seu comentário