19/09/2020

O profissional Hair Stylist Hudson Fernando, de Apucarana, procurou o portal do Canal 38 para reclamar que supostamente teve seu direito de inquilino aviltado por atrasar o aluguel do imóvel e ao chegar na residência onde mora no “Floral do Lago”, encontrar o portão fechado com cadeado colocado pelo casal dono da moradia.

Hudson afirma que a locatária do imóvel lhe mandou um áudio pelo WhatsApp falando sobre a orientação sexual do jovem e “entrado em sua intimidade enquanto pessoa”. O inquilino acrescentou que a casa foi arrombada e furtada há algumas semanas atrás e isso lhe gerou dificuldade financeira que ele pretende superar gradativamente para honrar seus compromissos de forma plausível. Hudson acrescentou que encontra-se abalado psicologicamente pelo áudio enviado pela locatária do imóvel e ressalta que o aluguel está atrasado há apenas 30 dias. O Hair Stylist reclama ainda que alguém teria feito um buraco no muro ou parede para espiá-lo. Ainda segundo informações, o caso também seria passível de análise jurídica com foco em possível situação de exercício arbitrário das próprias razões pelos locatários do imóvel, sendo o inquilino uma possível vítima nesse caso.

Segundo a ativista Renata Borges, a “LGBTIFOBIA existe de forma estrutural, a partir do momento que “as pessoas se julgam no direito de entrar nas nossas intimidades é pontuar feridas causadas pelas nossas orientações sexuais”. “Elas já reverberam o preconceito. Eu até agora não entendi o que tem haver o aluguel atrasado com a orientação sexual”, afirma Renata Borges.

O OUTRO LADO
Já a dona da casa diz em áudio que Hudson procurou ela e seu marido para alugar a residência, no que foi prontamente atendido mesmo impondo suas condições, pois ambos confiaram em entregar uma casa novinha na mão do rapaz, mesmo sem conhecê-lo e sem investigar sua vida, e agora estão tendo dificuldades para receber o aluguel e “sendo enrolados”.

“Você é homossexual e às vezes você deve ter passado muito preconceito na vida, porque imagino que não é fácil, mas comigo e com o meu marido com certeza você não passou preconceito. Foi difícil construir essa casa e agora quando chega na data para pagar o aluguel, você não paga, não responde, enrola. Você se deparou com uma situação bem complicada, de chegar na casa e ter a surpresa desagradável de encontrar um cadeado e uma corrente no portão, mas isso não chega a 1% da surpresa desagradável que nós tivemos. Qual garantia que nós temos a não ser fazer isso? A gente tem contrato e testemunhas; tem uma pessoa morando lá que a gente nem sabia. Você tem se mostrado uma pessoa descomprometida e quem garante que você não vai entrar lá, tirar suas coisas e sumir? Então paga o que você nos deve, a gente abre a casa e aí você tira as suas coisas de lá; vamos agir como gente grande; o que está acontecendo é isso: dente por dente, olho por olho. Quando teve aquela situação de entrarem na casa, arrumamos a grade para te ajudar e te dar segurança, fomos legais e você pisou na bola, nos fez de palhaço e mandou até um comprovante falso de pagamento; pode procurar a polícia, advogado, o que você quiser, porque é dente por dente olho por olho. Então é assim: paga, tira as suas coisas e vaza. Por enquanto você ainda não vai ser despejado, mas não vai demorar muito para isso acontecer se você não resolver essa situação logo, tá bom…”, disse a locatária da casa em áudio no WhatsApp.

Deixe seu comentário