22/03/2021

O vereador Lucas Leugi apresentou um requerimento na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Apucarana realizada na tarde de 15 de março pedindo informações ao prefeito municipal, Júnior da Femac, sobre o trabalho de roçagem no município, após várias denúncias de corrupção que recaem sobre os serviços realizados.

Estranha e misteriosamente, o requerimento de Lucas não consta na pauta da ordem do dia da Câmara para a sessão ordinária de segunda-feira (22), com início previsto para às 16 horas. A intenção de fazer “vistas grossas” para as denúncias de corrupção no sistema de capinagem em Apucarana está ficando “escancarada”, conforme opinião de algumas pessoas que acompanham de perto o meio político apucaranense.

“Na última sessão foi lido um requerimento de minha autoria pedindo informações ao prefeito municipal sobre a roçagem no município. Para minha surpresa, diante de todo contexto denunciado nos últimos dias, a matéria não está na pauta da ordem do dia da próxima sessão”, postou Lucas Leugi em seu perfil no Facebook.

Lucas Leugi cobrou duramente o prefeito de apucarana, Júnior da Femac, na sessão ordinária realizada da Câmara de Vereadores na segunda-feira (15) à tarde sobre a falta de providências em relação a denúncias de corrupção no trabalho de roçagem de terrenos na cidade, que foi terceirizado pela administração municipal.

Documentos bancários confirmam que parentes do servidor Paulo Fabrício dos Reis receberam depósitos, no caso do pai, e a transferência foi realizada no mesmo dia, depois que a empresa terceirizada recebeu da prefeitura de Apucarana por supostos serviços de roçagem executados.

A reportagem do Portal 38 News já havia apresentado a denúncia das irregularidades e o modus operandi, mas nada foi feito pela administração municipal. Além disso, divulgou o nome do servidor próximo do prefeito Junior da Femac, publicou as duas planilhas pagas, em parte indevidamente, juntamente com a imagens dos locais que demonstram que os serviços não foram realizados.

“PREFEITO CONIVENTE”
“Mesmo assim o prefeito Júnior da Femac não tomou atitude, não teve coragem de instaurar uma sindicância para investigar mesmo com provas divulgadas na imprensa, não fez nada e quem sabe de irregularidades e não faz nada é conivente. Estou juntando provas para levar ao Ministério Público e também solicitei aos vereadores em requerimento apresentado na sessão que fosse instaurada a “CPI da Roçadinha”, para apurar o suposto desvio de dinheiro público num processo licitatório que envolve pai e filho”, afirmou o vereador Lucas Leugi em entrevista concedida ao Canal 38 na semana passada.

Materialização

A administração municipal de Apucarana além de não tomar nenhuma providência, após o Portal 38 News divulgar as denúncias de irregularidades na roçagem na cidade, passou a acatar as reclamações dos contribuintes que tiveram cobranças irregulares, desta forma, materializando tais irregularidades e o prejuízo aos cofres públicos, sem sequer tomar as providências legais.

Deixe seu comentário