16/03/2021

O estelionatário disse à PM que faz aproximadamente uma semana que está aplicando golpes em Apucarana.

Policiais militares das Rondas Táticas Móveis (Rotam) do 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Apucarana prenderam, às 17h55 da tarde desta terça-feira (16), um rapaz suspeito de aplicar o golpe do cartão em pessoas residentes na cidade. Ele foi abordado na Avenida Minas Gerais, na Vila Nova, quando pilotava uma motocicleta Yamaha XT 660r, na cor vermelha, e estaria prestes a fazer mais uma vítima de estelionato. Com ele, que é oriundo de São Paulo, a PM apreendeu, além da moto, 10 cartões de crédito, 5 máquinas de cartão, 20 recibos de pagamento de cartão de crédito e um telefone celular.

O preso foi levado pela Rotam junto com a moto e o material apreendido à 17ª Subdivisão Policial (SDP) para os procedimentos legais e um homem residente no Conjunto Osmar Guaraci Freire, que perdeu cerca de R$ 14 mil no golpe do cartão na segunda-feira (16), também se dirigiu até a Delegacia de Apucarana para fazer reconhecimento do detido como sendo o estelionatário que o lesou.

A prisão
A Rotam estava em patrulhamento pela Avenida Minas Gerais quando visualizou uma motocicleta Yamaha XT 660r, na cor vermelha, e o condutor desta referida motocicleta teria realizado estelionato na data de ontem (15/03/2021), no Bairro Guaraci Freire. Foi logrado êxito em abordá-lo e identificá-lo. Foi realizada busca pessoal no mesmo e verificada a situação da motocicleta, não sendo localizado nada de ilícito com ele, porém ao ser perguntado ao mesmo sobre a situação de ontem, o suspeito no primeiro momento negou para equipe, porém após ser levantado mais dados, o mesmo veio a confirmar o envolvimento e autorizou a ida e a entrada da equipe em seu apartamento para pegar o material ilícito, ( máquinas e cartões de créditos que estariam sendo usados nos golpes).

No local o golpista indicou uma caixa de sapatos na cor azul contendo tais materiais ilícitos. Diante do exposto, foi dada voz de prisão ao mesmo e encaminhado à 17ª SDP junto com a motocicleta, os materiais ilícitos e os cartões da vítima para os procedimentos legais.

O preso acrescentou à PM que pediu esse material na cidade de São Paulo, e que lá teria um escritório que entra em contato com as vítimas, em sua maioria pessoas acima dos 60 anos e na sequência ele seria o motoboy, o rapaz que iria buscar o cartão da vítima e finalizar o golpe. O estelionatário disse ainda que faz aproximadamente uma semana que está aplicando os golpes em Apucarana.

Como é o golpe
De acordo com a polícia, criminosos se passam por bancários e usam até crachás falsos para buscar cartões de crédito supostamente clonados nas casas de clientes. Segundo as investigações da Polícia Civil, suspeitos telefonam para vítimas se identificando como bancários de várias instituições que atuam no Estado e dizendo que o cartão de crédito da pessoa foi clonado.

A partir daí, os golpistas obtêm dados pessoais do cliente do banco e, inclusive, a senha do cartão. Depois, os criminosos pedem que o cartão clonado seja cortado em duas partes e entregue a um motoboy que irá à casa da vítima buscar o cartão supostamente fraudado. Só que, mesmo com esse cartão destruído, os golpistas conseguem salvar o chip e produzir um novo cartão, que vai ser usado em saques e compras pelos criminosos.

Deixe seu comentário