Imagem: Narciso do Prado - Jornal do Meio Dia - Canal 38

09/05/2021

O corpo da professora Maria Onide Balan Sardinha, ex-chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Apucarana, foi sepultado por volta das 10 horas deste domingo (9), no Cemitério da Saudade, após homenagem feita por familiares e amigos, em meio a um clima de muita comoção.

De acordo com familiares, Maria Onide estava internada em um hospital de Maringá e vinha lutando pela sua vida há cerca de trinta dias, desde que foi diagnosticada com Covid-19, mas não resistiu às complicações causadas pela doença.

Maria Onide já acumulava 40 anos de trajetória no magistério, tendo atuado em várias escolas públicas e privadas. Como servidora de carreira do Estado do Paraná, assumiu a chefia do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Apucarana, cargo que ocupou por mais de dez anos. Com mestrado em educação, prestava serviços ao Ministério da Educação, na avaliação de cursos superiores.

Em 2018, Maria Onide organizou e lançou um livro sobre o NRE, resgatando a história das Inspetorias da Educação. A obra traz ainda uma retrospectiva da criação do NRE de Apucarana desde 1954, ainda na época do padre Valdemiro Haneiko. A história do NRE de Apucarana é contada por meio de registros de eventos, reportagens, relatos, fotos, buscando com isso não deixar que o trabalho educacional realizado se perca no tempo, sem memória registrada.

A professora deixa o esposo, Luiz Alberto Sardinha, e os filhos William, Wellington (ambos residindo na Austrália), e o caçula Vinicius, além de noras e netos, e um vasto círculo de amigos em Apucarana e região. A emoção marcou o sepultamento da professora Maria Onide Balan Sardinha, que foi registrado pelo professor, repórter e apresentador Narciso Prado, do Jornal do Meio Dia, no Canal 38.

Deixe seu comentário