Beto Preto recebe denúncia do SindSaúde-PR

12/11/2020

O SindSaúde-PR solicitou nesta quarta-feira (11) que o secretário da Saúde faça o afastamento imediato do Chefe da Divisão Administrativa da 16ª Regional por Assédio Moral contra servidores, o acusado seria mantido por Beto Preto mesmo após receber diversas denúncias de assédio na 16ª Regional de Apucarana.

Os integrantes do SindSaúde-PR entregaram na manhã desta quarta-feira (11) para o secretário de Estado da Saúde do Paraná, Beto Preto, as denúncias de assédio moral que estão ocorrendo na 16ª Regional de Saúde (Apucarana) e no Complexo Hospital do Trabalhador (CHT).

“Protocolamos dois relatórios robustos, com muitos depoimentos, relatando os casos de violência moral, assim como sobre as repercussões na saúde das servidoras e dos servidores, que pessoas em cargos de chefia estão causando no processo de gestão dessas unidades, gerando inclusive deterioração do ambiente laboral. Entregamos os documentos também para a diretora de Recursos Humanos, Schirley Terezinha Follador” informou.

Entre as medidas, solicitamos o afastamento imediato do chefe da divisão administrativa da 16ª Regional e apresentamos propostas de implantação de um programa de prevenção às práticas de assédio moral, além de  organização no local de trabalho que possa fazer o levantamento dos problemas existentes no cotidiano, para que essas questões e outras que interferem nos processos e nos ambientes de trabalho sejam resolvidas por meio do diálogo em cada uma das unidades da SESA.

A reportagem do Portal 38 News recebeu denúncia que o referido servidor seria concursado e atualmente tem cargo de chefia e seria uma pessoa extremamente ligada e protegida por Beto Preto. De 2011 a 2017 foi chefe do financeiro, de 2018 até a presente data ocupa a divisão administrava. Colocado e mantido no cargo pelo Secretário mesmo após receber tantas reclamações e denúncias o mantém no cargo.

Diante da gravidade dos fatos existentes, vários servidores procuraram o sindicato SindSaúde-PR e com auxílio fizeram um relatório das condutas irregulares do acusado e entregaram o relatório junto a uma denúncia e pedido de investigação e resolução do problema para o Ministério Público, para a própria Secretaria de Saúde e a chefe geral do RH, bem como a diversos outros órgãos de controle.

Ainda de acordo com informações recebidas pelo portal de notícias, existem ainda acusações de existência de assédio sexual na 16ª Regional de Saúde de Apucarana.

Veja matéria completa do SindSaúde-PR:

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário