03/02/2021

Após “idas e vindas”, o advogado Antônio Garcia, o “Toninho Garcia”, do PSL foi empossado nesta quarta-feira (3) pela manhã para mais um mandato de vereador na Câmara Municipal de Apucarana, em solenidade realizada no plenário do Legislativo Municipal, cercada de grande expectativa. O presidente Poim tenta impedir a presença da imprensa na cerimônia.

A posse de Toninho Garcia (1º suplente do PSL) foi marcada pelo presidente da Câmara de Vereadores de Apucarana, Franciley Preto Godoi (PSD), o “Poim”, após decisão judicial, com pedido de liminar para mandado de segurança que teve parecer favorável do juiz titular da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Apucarana, Rogério Tragibo de Campos. O magistrado determinou que um Oficial de Justiça notificasse e intimasse na segunda-feira (1º/02) o presidente da Câmara, “Poim”, para que o mesmo suspendesse do cargo a vereadora Eliana de Lourdes Lima Rocha (PP) no prazo de 5 dias, sob pena de aplicação de multa pessoal e desse posse a Toninho Garcia.

Na decisão o magistrado também mandou que Poim preste as devidas informações necessárias sobre o caso, no prazo de 10 dias. Em equívoco de interpretação da legislação eleitoral do presidente da Câmara e do seu assessor jurídico Petrônio Cardoso e seus pares, Eliana (PP) foi empossada vereadora na manhã de 22 de janeiro, 24 horas após a morte do pastor e vereador eleito Valdir Silvério dos Reis (PSL) de Covid-19, em decisão que surpreendeu pela rapidez como foi tomada, pois a vaga é clara e legalmente do PSL, partido do pastor Valdir e cujo 1º suplente era o hoje empossado vereador Toninho Garcia.

“Foi uma conspiração que fizeram contra a minha pessoa, uma aberração do departamento jurídico da Câmara, mas graças a intervenção da Justiça tomei posse porque a vaga era de direito do PSL e estou preparado para exercer meu mandato em favor da população de Apucarana”, disse Toninho Garcia logo após tomar posse.

Atitude antidemocrática
Mais uma vez, o presidente da Câmara de Vereadores de Apucarana, Franciley Preto Godoi (PSD), o “Poim”, teve uma atitude antidemocrática com aval do Jurídico do legislativo ao tentar fazer com que a posse de Toninho Garcia acontecesse no gabinete da presidência da Casa as portas fechadas e não no plenário, sem a presença da imprensa, em nova ilegalidade de cerceamento ao trabalho da imprensa, supostamente por motivos “obscuros” de seu grupo político, como aconteceu em 1º de janeiro deste ano, quando a imprensa foi barrada na porta do Cine Teatro Fênix e não acompanhou a posse dos 11 vereadores e a eleição da nova mesa diretora da Casa. Isso só não aconteceu novamente nesta quarta-feira (3) porque o vereador Lucas Leugi e Toninho Garcia se opuseram a tal iniciativa.

Arbitrariedade
Agora a julgar pelas primeiras decisões do atual presidente da Câmara, Poim, o que se pode esperar é mais atos de arbitrariedade, pois na terça-feira (2) o portal 38 News e o Canal 38 ficaram sabendo do agendamento da posse a ser dada a Toninho Garcia por Poim através de terceiros.

Tal atitude de barrar a imprensa na Câmara de Vereadores só foi registrada em Apucarana no final do século passado, quando o presidente do Legislativo Municipal era Valdir Souza, o “Valdir Fantástico”, durante uma administração “nefasta”. Na época a Justiça interferiu para garantir o trabalho da imprensa.

Agora parece que a história se repete, para que a população não tome conhecimento sobre algumas coisas supostamente “obscuras”.

Tentar impedir o trabalho da imprensa é atitude irresponsável e perigosa de pessoas que flertam com o autoritarismo sem ao menos entender as implicações legais e históricas de tal atitude.

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns ao toninho Garcia, ta assumindo um cargo que lhe é de direito. Agora, alguem pode avisar o Poim Preto, que a Câmara é do povo e se ele esta lá então ele é funcionário do povo, la não é a casa dele que ele pode fechar pra quem quizer, la quem mabda r o povo, se nao obedecer, vamos tira lo, pirque o povo tem força, agora se ele for honem, pede pra c… e cai fora.

Deixe seu comentário